quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Brincadeiras


BRINCADEIRAS

1 - Telefone sem fio
Idade: a partir de 5 anos
Participantes: 5 ou mais
Regra:
Organizar os jogadores sentados um ao lado do outro em fila.
O primeiro jogador diz uma frase/mensagem no ouvido do colega seguinte. Cada participante após receber a mensagem fala o mais baixo possível no ouvido do colega seguinte até que o ultimo falará em voz alta o que recebeu. A mensagem muitas vezes chega completamente diferente!!!

2 – Fui a feira

Idade: a partir de 5 anos
Participantes: 2 ou mais
Regra:
Um jogador diz em voz alta: Fui a feira e comprei.. por exemplo ”maçã”. O jogador seguinte repete a frase do primeiro acrescentando outra mercadoria comprada por exemplo:” batata”, o terceiro jogador repete as mercadorias que os jogadores anteriores disseram e acrescenta mais uma, ganha quem não repetir mercadoria e lembrar todas que foram faladas.

3 – Estátua

Para essa brincadeira é bom ter mais de 3 pessoas.
Você vai precisar de um aparelho de som.
Todos os jogadores fazem um círculo e um fica como o mestre, controlando o som.
Quando o mestre quiser ele abaixa o volume e diz "estátua"!
Os jogadores devem ficar em posição de estátua, sem se mexer e o mestre vai tentar fazer caretas e brincadeiras para ver quem se mexe primeiro.
Não vale fazer cócegas.
Quem se mexer ou rir primeiro paga uma prenda e vai para o lugar do animador.

4 – Percepção Corporal

Tempo: de 15 a 30 minutos.
Espaço: sala ampla ou jardim.
Idade: a partir de 1 ano.
Material: colchonetes ou tapetes de vinil para colocar sobre o chão ou o gramado.
Objetivos: relaxar; estimular o sentido do tato e o auto-conhecimento corporal; e descobrir o prazer no movimento.
Descrição: estimule as crianças a deitar em diferentes posições para perceber partes do corpo. Faça perguntas como: o que está encostando no chão? Quem está sentindo a perna? Quem está com o braço todo apoiado?

Sugestões de Atividades para crianças de até 4 anos
Aqui estão mais algumas sugestões de brincadeiras e atividades com crianças até quatro anos:

-Jogos de memória
- Recorte e colagem (papel picado, grãos, contas).
-Rasgar papéis com as mãos.
-Amassar os papéis picados.
-Confecção de colares.
-Pintura a sopro, a dedo e/ou a pincel.
-Massinhas de modelar.
-Argila
-Brincar de faz-de-conta.
-Mímicas: rir, chorar, dar gargalhadas, fazer caretas, piscar.
-Dançar.
-Correr com e sem apoio.
-equilibrar-se num pé só.
-Reconhecer e nomear partes do seu corpo e dos outros.
-Brincar com água, terra, argila, areia, barro.
-Reconhecer os sabores, doce, salgado, amargo, azedo.
-Reconhecer as temperaturas: frio, quente, gelado.
-Participar de brincadeiras rimadas e ritmadas, cantigas de roda, canções folclóricas.
-Dramatizar cenas familiares e histórias curtas e repetidas freqüentemente.
-Observar e explorar o ambiente através do tato.
-Identificar formas: quadrado, círculo, triângulo, retângulo.
-Identificar cores.
-Representa, por meio de gestos, sem utilização de objetos, o fechar portas, calçar sapatos, receber uma visita, cozinhar, lavar, etc.
-Rodinha para conversação.
-Andar imitando um trenzinho, transpondo obstáculos, passando por baixo de mesas eu formarão um túnel, circundar objetos. -Morto-vivo (jogo)
-Andando, chegar a um ponto determinado na sala, equilibrando um objeto na mão, na cabeça, etc.
-Brincadeiras com bolas, petecas, balões, água, massa para desenvolver a percepção tridimensional, a percepção de distância e orientação espacial.
-Ajudá-la no desenvolvimento do vocabulário, encorajando-a na identificação das atividades realizadas nas tarefas diárias.
-Ensiná-la a identificar as roupas que usa e os diferentes passos no processo de vestir e despir.
-Confecção de bandinha rítmica, para propiciar o canto acompanhado de instrumentos musicais
- Exercícios para desenvolver a lateralidade.
-Desenho espontâneo com lápis de cera.
- Fazer como se pedalasse uma bicicleta: pernas duras e flexionadas
-Utilizar fantoches, teatro de máscaras, teatro de sombra para apresentação (histórias) às crianças.
-Corrida de cavalinho: fazer uma fila com as crianças e colocar pequenos obstáculos como latinhas, saquinhos de areia, espalhados pela área em círculo. Ao sinal de um apito, palmas, as crianças saem correndo procurando saltar os saquinhos.
-Imitar o pulo do sapo, do macaquinho, do coelhinho, o peixinho nadando, a minhoca se arrastando e o som de animais conhecidos.
-Desenhar um caracol no chão, as crianças devem andar em cima da linha, no sentido de ir e voltar.
- Manipulação de material de sucata.
-Conversar com as crianças ao máximo, aproveitando todos os momentos, tendo como temas sua família, seus brinquedos, seus amigos, suas brincadeiras.

Sugestões criativas para fazer com as crianças

É muito importante, na primeira vez que as crianças procurem trabalhar sozinhas, no entanto, sem que sejam forçadas a isso. Você, naturalmente precisa estar de olho nelas, pois gostam de por coisas na boca. Especialmente quando trabalharem com balões, algodão, jornais e peças pequeninas. Não espere uma super-produção ou que os trabalhos sejam perfeitos e com bom acabamento.
r> Ao praticarem atividades criativas, cada vez mais exercitando a coordenação motora, você verá que elas irão aprimorando suas técnicas e resultado final do que criarem.
A repetição de atividades é também muito importante para as crianças. O que para um adulto pode parecer repetitivo, para as crianças é sempre uma aventura e encontram novidades para experenciar.
Experimente, depois de duas semanas que apresentou determinada atividade, colocar à disposição das crianças o mesmo tipo de material que já aplicou anteriormente e verá quanto progresso elas demonstrarão realizar.
Uma idéia para crianças que engatinham
Se você sabe tricotar, faça uma luva, se não adquira uma e pregue nas extremidades de cada dedo um pequeno sininho! Você poderá também desenhar uma carinha nos dedos e se quiser mais costure lã que será o cabelinho das carinhas. Elas adorarão!
Aventuras para crianças pequeninas
Um túnel para as crianças engatinharem por dentro pode ser feito com papelões grandes, cartolinas, diferentes tipos de tapetes, diferentes tipos de travesseiros e bolas, bóias de soprar ou animaizinhos, balões, colchas e almofadados. Experimente você primeiro mostrar para elas como devem agir para brincarem e elas aprenderão rápido. Engatinhar embaixo do túnel, brincar com balões, construir torres com travesseiros, etc.
Para o início a utilização de materiais em abundâncias talvez seja exagerada. Comece talvez com alguns papelões e depois ofereça-lhes apenas balões, etc. Uma brincadeira de cada vez.
Crianças exercitando-se na sala
Preste atenção com as brincadeiras das crianças é sempre bom ter um colchão de ginástica ou uma colcha almofadada para que as crianças possam brincar e exercitarem-se ali.
Bacia ou piscina de plástico
Para cada grupo de crianças duas piscininhas de plástico seria o ideal. Você poderá enchê-la com balões de soprar (meio murchos para não estourarem), jornais (as crianças adoram rasgá-los), algodão (de boa qualidade- para sentarem-se em cima e sentirem a textura macia). Papéis manteiga fazem um barulho agradável de se ouvir, quando se é amassado. Observando-as sempre para que não engulam objetos indesejáveis.
No outono é possível encontrar materiais como: castanhas, folhas, que também podem estar nessa pequena piscina, para que as crianças entrem dentro e desenvolvam seus sentidos.
Quando o tempo estiver quente, pode-se colocar essa piscina fora e enchê-la de água. Ponha dentro potinhos vazios de iogurte, colheres de plátstico, baldinhos e deixe-as brincar ali. Observando-as sempre.
Música com materiais de casa
Caixa de ovos, latas de bebida, colheres, pauzinhos ou hastes de madeira, etc. podem transformar-se em instrumentos musicais. Use a criatividade!
Enchendo objetos
Dê para as crianças diferentes latinhas, copos de iogurte vazios, papelões, garrafas de plástico, etc. Elas poderão encher esses objetos com areia, e no verão brincar fora ou também utilizando água. Comece você mesmo demonstrando como se pode construir uma torre, uma montanha, etc com areia, logo elas estarão fazendo o mesmo.
Conhecendo as formas
Recorte nas caixas de papelão (de produtos caseiros) ou caixas de sapato diferentes formas: círculo, triangulo, retangulo, etc.
Dê para as crianças cortiça, bloquinhos de madeira para montar, pedaços de papéis grossos e peça-as para que as coloquem nos buraquinhos (de diferentes formas) das caixas.
Rolos de papel higiênico
Dê a elas alguns rolos de papel higiênico vazios ou rolos de papel de cozinha e elas poderão brincar com eles, fazendo-os rolar, apertando-os, o mais forte consegue até rasgá-os, podem também pisar em cima!
Se as crianças forem um pouco maiorzinhas já podem pintar os rolos com tinta de dedo ou ainda colar papéizinhos coloridos que podem ser rasgados em cima
Saquinhos recheados
Uma coisa que pode ser feita rapidamente é fazer saquinhos de pano recheados ou mesmo luvas laváveis recheadas.
Encha-as com algodão, arroz, ervilha seca, castanhas, ponha sininhos em cada dedo da luva, etc. As crianças dessa idade gostam de sentir o tato e escutar o som que os objetos produzem.
Painéis de textura
Numa cartolina cole uma lixa de papel, folha de alumínio, tecido, algodão, botões, cortiça, formando dois painís. Deixem as crianças sentir as diferentes texturas.
Você pode escondê-las sobre um pano e as crianças maiores poderão pelo tato adivinhar de qual painél se trata.
Cobra de pano
Costure uma cobra comprida, feita de retalhos de tecido e encha-as com algodão. As crianças irão gostar muito de apalpá-la com a mão. Voce poderá utilizar outros materiais para enchê-la.
Recipiente de filme
Você poderá também encher um potinho de plastico desses de filme fotográfico com ervilhas secas, arroz, sininhos, pedrinhas. Depois, é só fechar bem e para segurança lacre-a com auxilio de fita isolante ou crepe.
Papelão
Pode-se pintar um papelão com tintas de dedo.
Uma caixa de papelão pode virar uma casinha. É só cortar as portas e janelas. Claro que essa caixa deverá ser grande.
Com papelão a criança maiorzinha poderá ensaiar recortes (com tesoura sem ponta) e poderá fazer estrelas, ovos de páscoa ( para servirem de móbiles após serem pintados), etc.
Lembre-se que quando elas trabalharem com tinta de dedo, devem usar uma roupa velha ou um avental e o chão ou mesa devem estar protegidos com jornal.
Aprendendo a guardar os brinquedos
Deixe as crianças guardar os brinquedos que utilizaram na aula. Elas podem pô-los em uma caixa de papelão vazia. Podem por:bolas de papel, algodão, bolinhas, etc. Quando tudo estiver dentro todo mundo canta uma musica e se houver tempo coloca-se tudo no chão novamente e de novo começam a guardar e depois a cantar.
Espelho de papel alumínio
Você pode colar uma folha de papel aluminio no chão para que as crianças ao engatinhar olhem para seu reflexo. Os pequeninos gostam de se mirar no espelho.
Travesseiros de balões
Com uma colcha de face dupla, dessas que se colocam um estofado dentro você pode fazer um grande travesseiro de balões. É só colacar nas colchas diversosbalões de ar (meio vazios para que não estourem) e então as crianças poderão engatinhar e rolar por cima.
Brincadeira na areia
Quando estiverem fora, dê à crianças forminhas, regadores, água e colheres e deixe-as brincar à vontade.
Rasgar e colar
Deixe as crianças rasgarem diferentes tipos de papéis: Jornais, papéis transparentes, coloridos, dourados e depois colarem sobre uma cartolina ou papél.
Tecido e lã
Colar restos de tecidos de diferentes formas e tamanhos. Para se colar lã é necessário uma destreza maior, pois a criança precisará firmá-la com a ajuda outros dedos para que se fixe no papel.
Caixas de ovos vazias
São também boas para que as crianças as rasgem ou para ser utilizada na confecção de papel maché – que serve-se como ótimo recurso para fazer brinquedos diversos: galinhas, frutas, máscaras, etc.
As crianças também poderão brincar de colocar materiais dentro da caixinha de ovos: papéis amassados, cortiças, etc. Tome porém, cuidado para que não levem objetos pequenos na boca.
Rasgar e cortar
Catálogos velhos ou jornais podem ser um ótimo material para que as crianças brinquem de rasgar. Quando são maiores podem exercitar-se em cortar as figuras. (lembre-se com tesoura sem ponta)
Areia e cola
A areia pode ser muuito bem misturada com a cola, com isso aplicar essa mistura em latinhas e em cima enfeitar com conchinhas do mar, etc.
Navio de puxar
Com uma caixa de ovos podemos contruir um navio de puxar. Com isso as crianças podem pintá-lo com tinta de dedo . Ponha um barbante em uma extremidade e o barquinho está pronto.
Colar de macarrão
Com um cordão e vários macarrõezinhos é possível fazer um colarzinho! As maiorezinhas treinarão sua coordenação motora e adorarão o resultado final.
MAIS ATIVIDADES
1 - Da imagem nasce à história
Vera Melis
Tire fotos ou recorte imagens de revistas, cartazes, panfletos. Espalhe as imagens uma mesa e peça para as crianças para selecionar algumas e criar uma sequência. Com base nas imagens que selecionadas, as crianças devem criar uma história - procure relacionar os sentimentos que as imagens transmitem com a história.
                     
2 - O Brinquedo Palavra
Vera Melis

Recorte de revistas, jornais, cartazes, palavras variadas ou tenha um foco (determinado tema como animais, oceano, lugares...). Coloque essas palavras numa caixa e peça a cada participante que retire algumas.
O objetivo é criar histórias com as palavras retiradas da caixa.

3 - Dominó ao contrário
Vera Melis
Invente o seu.
Este é de cores...
O azul não se encosta ao azul, o verde não se encosta ao verde. Com esse jogo, a turma aprende a planejar e a corrigir.
- IDADE: A partir de quatro anos.
- O QUE DESENVOLVE: Capacidade de planejamento e de análise de erros e coordenação motora.
- COMO FAZER: Em uma folha de papel, faça o contorno de uma figura qualquer - um objeto, um animal ou uma forma geométrica. Divida-a aleatoriamente. Para os pequenos de quatro a seis anos e para os iniciantes de 7 a 10, faça até dez subdivisões para não dificultar muito. Quando sentir que os alunos maiores já dominam a atividade, aumente as subdivisões ou deixe que criem as próprias figuras.
- COMO JOGAR O jogo é individual. Cada aluno recebe quatro canetas hidrocor ou lápis de cores diferentes e a folha com a figura desenhada. Os pequenos podem trabalhar com giz de cera grosso, pintura a dedo e colagem de papéis ou de tecidos. O objetivo é colorir a figura usando as quatro cores sem deixar regiões vizinhas da mesma cor. Áreas limitadas pelo vértice podem ter tonalidades iguais. Se a criança não conseguir completar a figura, dê a ela a oportunidade de repintar algumas áreas.
- VARIAÇÃO É possível trabalhar em duplas. As crianças têm de encontrar juntas, uma solução para o desafio.
 4 -  Jogando eu descubro as horas

Pequenos grupos.
Objetivo Geral
Identificar as relações temporais.
Experiência Significativa
Observando que os relógios se usam para indicar a passagem do tempo.
Desenvolvimento
A professora realizará cartões com: 1) Desenhos de diferentes momentos do dia e 2) Diferentes horas as quais estarão relacionadas com os desenhos. Em seguida, pedirá às crianças que relacione cada hora ao desenho que eles acham que corresponde à hora.
Recursos e Materiais
Cartões com desenhos de diferentes momentos do dia.
Cartões com diferentes horas.
Equipe / Instituição:
Carmem E. García - Monseñor Ronero (Edo. Ara)
LeibeRonero - Monseñor Ronero (Edo. Ara)

5 -  Jogando com os Relógios
Atividade de grupo.
Objetivo Geral
Identificar as relações temporais.
Experiências Significativas
Observando que os relógios servem para indicar a passagem do tempo.
Desenvolvimento
A professora fará dois relógios gigantes com caras: um digital e outro analógico. O digital deverá ter cartões com as diferentes horas e uma aba transparente para guardar todos os cartões. O relógio analógico deverá ter ponteiros móveis. Cada relógio deverá ter furos acima, abaixo e dos lados, a fim de que a criança possa "vestir-se" de relógio.
Duas crianças se "vestirão" com cada relógio e se colocarão à frente da turma. A professora perguntará: Como ficarão os relógios se forem 03 horas da tarde? As crianças voluntariamemte colocarão os ponteiros do relógio analógico no lugar correspondente e buscarão o cartão do relógio digital que indique a hora pedida. As demais crianças observarão se estão corretas. E assim, segue a atividade com novas propostas da professora.
Recursos e Materiais
Relógio analógico e digital com caras, para ser "vestido" pelas crianças.
Equipe / Instituição:
Rossana Ortiz - Simón Rodríguez
Alicia Lucema - Monseñor Ronero (Edo. Zulia)
NanceCarrusi - Monseñor Ronero (Edo. Zulia)

6 -  Montar um relógio
Pequenos grupos.
Objetivo Geral
Desenvolver a construção do conceito de número.
Identificar as relações temporais.
Experiência Significativa
Reconhecendo numerais.
Observando que os relógios são usados para indicar o tempo.
Desenvolvimento
Para montar um relógio, no Canto da Arte se colocarão folhas impressas com círculos grandes e números de 1 a 12. Cada criança recortará um círculo e os números. Depois, colocarão os números em forma ordenada dentro do círculo. Com palitos, pauzinho de sorvete ou qualquer outro material que possam ser usados como ponteiros, as crianças marcarão as horas pedidas pela professora.
Recursos e Materiais
Folhas impressas com círculos grandes e números de 1 a 12.
Equipe / Instituição:
María Alejandra Torres - Oficina Zonal Fe y Alegría
Miagro Alvárez - Simón Bolívar
Ronoys Marcano - Simón Bolívar
Cara Taboas - Simón Bolívar
Agnes Rada - Simón Bolívar
Coia Pita - Simón Bolívar
7 -  Marcando a Hora
Pequenos grupos.
Objetivo Geral
Identificar as relações temporais.
Experiência Significativa
Observando que os relógios são usados para indicar o tempo.
Desenvolvimento
Em pequenos grupos, as crianças construirão relógios. Os ponteiros devem ser móveis e podem ser desenhados à parte. Em seguida, recortarão os relógios em forma de quebra-cabeças e guardarão as peças em uma bolsa, junto com os ponteiros. A professora vai elaborar uma lista com diversas horas e a entregará a cada criança para que a coloque junto a seu quebra-cabeça.
Em casa, as crianças, com seus pais, armarão o quebra-cabeça e marcarão as horas da sua lista.
Recursos e Materiais
Tesoura.
Lápis de cor.
Lista de hora.
Cartolina.
Equipe / Instituição:
Marilin Pérez - UCAB-Caracas
Sor Sonia Hernández - Santa Teresita
IriscoleZárraga - Santa Teresita

8 - Histórias contadas e cantadas - o prazer de ouvir e participar
Autor: Vinícius de Morais – Texto: A arca de Noé

• Uma casa muito engraçada
Era uma casa muito engraçada, não tinha teto, não tinha nada...
Ninguém podia entrar nela, não. Porque na casa não tinha chão...
Ninguém podia dormir na rede, porque na casa não tinha parede,
Ninguém podia fazer pipi, porque penico não tinha ali!
ESTRIBILHO/ Mas era feita com muito esmero, na rua dos bobos, número zero...
Esta é uma música que conta uma história, e, com ela, podemos criar uma série de atividades, como:
Na rodinha: • Vamos cantar outras músicas com “CASA”? • Vamos ouvir histórias com casas muito especiais? Contar ou ler”João e Maria”, e outras histórias escolhidas, com a temática da “CASA”
A dobradura de uma casa é muito simples, e, com ela, a criança pode imaginar muitas situações, com a de enfeitar a casa, imaginar quem está morando nela, quem pode e quem não pode entrar, enfim, sempre com perguntas desafiadoras para a inteligência e para as percepções infantis.
Conforme a idade das crianças, podemos fazer jogos de linguagem, como, por exemplo, achar outros sentidos desta mesma palavra: a casa do botão, casa do verbo casar.
Em outro momento, podemos criar mais atividades lúdicas, com base na descoberta da polissemia, que é a variedade de sentidos que muitas palavras apresentam.Sugestão: -Amanhã, quem puder, vai trazer uma manga para a aula,; ou, - Vamos achar uma lima, aqui na sala? (Neste caso a professora já teria escondido duas limas, uma fruta e uma ferramenta)

9 - HISTÓRIA COM EXPRESSÃO CORPORAL / “VAMOS PASSEAR?”
CRIANÇAS E PROFESSORA SENTADAS NO CHÃO, EM CÍRCULO, PARA PARTICIPAREM DESTA DIVERTIDA HISTÓRIA, QUE CONTA AVENTURAS NA FLORESTA...
INTRODUÇÃO: PROFESSORA: Vamos passear?
CRIANÇAS: VAMOS!
P. Então vamos! (Começa a bater com as mãos nos joelhos, acompanhada pelos alunos).
As crianças repetem sempre o que a professora diz, e imitam seus gestos).
P – (apontando para longe): Olha lá!...UMA PONTE!
C – repetem a fala e o gesto
P - Não posso passar por baixo,- Não posso passar por cima,
-Tenho que atravessar...(as batidas com as mãos continuam, imitando caminhada.
C – repetem; (Esse diálogo é todo acompanhado por todos batendo as mãos nos joelhos).
P. Olha lá...( mão direita sobre os olhos, fingindo observar ao longe...), UM RIO!
Novamente batendo com as mãos, enquanto fala: - Não posso passar por baixo, - Não posso passar por cima, tenho que atravessar...VAMOS?
C.- VAMOS!
P. - Então vamos! (Agora todos devem fingir que nadam, enquanto “falam”: CHUÁ! ...)
P. – Olha lá... UMA ÁRVORE! -Não posso passar por cima- Não posso passar por baixo, - Tenho que subir...VAMOS?
C. – VAMOS!
P. – Então vamos! (Agora todos fingem subir numa árvore, escorregando, às vezes, mas chegando ao topo; aí, todos observam ao longe, como antes, com a mão direita na testa).
P. – Olha lá... O que será? (todos repetem); UMA CAVERNA! Vamos explorar?
C. – Vamos!
P. – Então vamos! (Todos imitam a descida de uma árvore, como puderem...). Chegando ao chão, a professora diz, simulando espanto, e os alunos repetem:
- Psiuu...Tem uma luzinha dentro da caverna!
- Umas orelhas grandes!
- É peludo! UUIIIII!!!!!É UM URSO!!! VAMOS VOLTAR! TUDO DE NOVO!
E todos correm de volta, atravessando, desta vez, às pressas, todo o caminho percorrido.


10 - CRIAÇÃO DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO - CASA DO TEMPO E DA GEOGRAFIA DA TRUDY - Atividade: O Calendário



10.1 -  Os Cartões do Tempo
Ao longo da rotina diária.
Objetivo Geral
Identificar as relações temporais.
Experiência Significativa
Observando que os relógios e os calendários são usados para marcar a passagem do tempo.
Desenvolvimento
Realizar cartões da forma, mostrada na figura. Cada cartão de uma cor (opcional). Os mostradores são móveis. Se pode mudar as horas e colocar horas e minutos. O retângulo de cada cartão é de plástico transparente e é onde se colocará a ficha com o desenho que corresponda ao momento da rotina. É necessário ter uma caixa para guardar todas as fichas com os desenhos e os nomes das diferentes Atividades da rotina.
À medida que o dia corre, a professora irá acrescentando aos cartões a hora, e também pode fazer perguntas como: Quanto falta para irmos para casa? Há quanto tempo estamos na escola?
Recursos e Materiais
Cartões.
Equipe / Instituição:
Danioa Padila - UCAB-Guayana
Jessica Cabolo - UCAB-Guayana
Lorema Alvarez - UCAB-Guayana
10.2 -  Os dias passam.
Atividade em grupo.
Objetivo Geral
Identificar as relações temporais.
Experiência Significativa
Observando que os calendários são usados para indicar a passagem do tempo.
Desenvolvimento
A professora realizará um calendário com os 12 meses do ano e colocará na página do mê em curso. Depois, marcará os dias dos aniversários do mês. Os alunos, sentados em círculos, observarão o calendário e a professora perguntará: Quem fará aniversário nesse mês? Quantos dias faltam?, Como podemos fazer para destacar as datas que queremos?
Uma vez terminada a atividade, a professora deixará o calendário em um lugar visível perto dos alunos, para que diariamente: 1) Observem que día é, 2) Risquem os dias que passaram e 3) Digam quantos dias faltam para o próximo aniversário.
Recursos e Materiais
Calendário
Pilot.
Equipe / Instituição:
Rossana Ortiz - Simón Rodríguez
Alicia Lucema - Monseñor Ronero (Edo. Zulia)
NanceCarrusi - Monseñor Ronero (Edo. Zulia)
10.3 - Tradições
Atividades coletivas.
Objetivo Geral
Identificar as relações temporais.
Desenvolver a capacidade representativa.
Experiência Significativa
Observando que os calendários são usados para indicar a passagem do tempo.
Dramatizando.
Desenvolvimento
A professora seleciona uma data comemorativa por mês, relacionada ao folclore e mostra às crianças. Quando chegar o dia de uma das datas mostradas, as crianças trarão de casa os recursos e materiais necessários para realizar dramatizações em grupos, com relação às diferentes manifestações folclóricas.
Recursos e Materiais
Materiais diversos para a dramatização.

Equipe / Instituição:
Thaís Sojo - María Inmacuada
Ruth Barrios - María Inmacuada
Neida Cañas - María Inmacuada
10.4 -  Voando pelos Dias da Semana

Atividades coletivas.
Objetivo Geral
Desenvolver a capacidade de seguir instruções
Experiência Significativa
Ouvindo orientações para atuar sobre elas.
Desenvolvimento
A professora desenhará no chão do pátio um avião con sete quadrados e em cada um deles, escreverá los dias da semana. Em seguida pedirá às crianças que saltem em cada quadrado do avião, num pé só, ao mesmo tempo em que identifica a palavra escrita em cada um.
Recursos e Materiais
Giz.
Equipe / Instituição:
Flor Morales - Preescoar J.M. Siso Martínez
NolePiñero - Preescoar J.M. Siso Martínez
Miguoina Herrada - Preescoar J.M. Siso Martínez
10.5 -  A Roda dos Aniversários.
Atividade de grupo.
Objetivo Geral
Identificar as relações temporais.
Desenvolver as relações afetivas com outras crianças e com adultos.
Experiência Significativa
Observando que os calendários são usados para indicar a passagem do tempo.
Estabelecendo relações afetivas.
Desenvolvimento
A professora elabora um calendário em forma de roda e cartões com os nomes e fotos de cada criança. O primeiro día de cada mês, mostra-se às crianças o calendário e se pegunta quem faz anos no mês? O aluno que responder, deve buscar o cartão com a sua foto e pregar no dia de seu aniversário. Este calendário tem o objetivo de mostrar a todas as crianças quantos dias faltam para o próximo aniversário.
Observação: Pode-se acrescentar à atividade, cartões com as datas dos aniversários dos adultos que lidam diariamente com as crianças na escola: merendeiras, auxiliares, professora, diretora, etc.
Recursos e Materiais
Calendário em forma de roda.
Cartões com os nomes e fotos de cada criança.
Equipe / Instituição:
BetteArocha - U.E.M Andrés Bolo
Ana Troconis - U.E.M Andrés Bolo

11 -  Construindo minha Comunidade.
Trabalho livre nas áreas expressivas.
Objetivo Geral
Desenvolver o potencial criador.
Desenvolver a capacidade representativa.
Experiência Significativa
Manipuando e combinando materiais.
Construindo.
Desenvolvimento
A professora pedirá às crianças que elaborem casas com os materiais disponíveis em sala: cartolina, tesoura, papel lustroso, lápis de cor, areia, carros e caminhões, potes de plástico, etc. Uma vez terminadas as casas, as crianças as levam para o área de areia para posicioná-las na cidade que estão construindo e começam a criar os caminhos (ruas e estradas) da cidade. Depois de observarem a construção realizada, conversam todos juntos para ver se estão de acordo com a distribuição das casas, para depois brincarem com os carros e os caminhões circulando pela cidade.
Recursos e Materiais
Cartolina. Papel lustroso. Lápis de Cor. Tesoura. Carros. Camihnões. Areia.
Equipe / Instituição:
NanceMontero - Dirección Nacional de Escuoas
Evoyn Córdova - María Inmacuada
Ligia Urbina - María Inmacuada

12 -  Lembrando do lugar onde vivo.
Pequenos grupos.
Objetivo Geral
Desenvolver a capacidade representativa.
Experiência Significativa
Construiemdo modelos à base de materiais diversos de sucata.
Desenvolvimento
Em pequenos grupos, a professora dará a cada criança diversos materiais para que elabore a maquete do lugar onde vive. Ao terminar, cada criança comentará a com a turma o que realizou.
Recursos e Materiais
Materiais diversos de sucata.
Equipe / Instituição:
Igsoemali Idrogo - María Inmacuada
Bárbara Novoa - UCAB-Caracas
Nilza Bolívar - UCAB-Caracas
13 -  Crie a sua Cidade.
Trabalho livre nas áreas.
Objetivo Geral
Desenvolver a habilidade para experimentar, observar, explorar diferentes materiais para luego realizar conposiciones con olos.
Experiência Significativa
Manipulando, transformando e combinando materiais.
Criando.
Desenvolvimento
Com o objetivo de incentivar as crianças a realizarem uma cidade, a professora colocará na mesa diferentes materiais como: revistas, jornais, caixas de ovo, rolos de papel higiênico, caixas, entre outros;
Recursos e Materiais
Revistas, jornais, caixas de ovo, rolos de papel higiênico, caixas, entre outros;
Equipe / Instituição:
Ligia Toro - Preescoar J.M. Siso Martínez
Sonia Ara - Preescoar J.M. Siso Martínez

14 -  O Mural com todos os pequenos, médios e grandes.

Atividade em Grupo.
Objetivo Geral
Desenvolver a construção do conceito de classificação.
Experiência Significativa
Observando e descrevendo semelhanças e diferenças entre objetos.
Agrupando.
Desenvolvimento
A professora distribuirá as crianças em 3 grupos segundo seu tamanho: pequenos, medianos/médios e grandes. Depois, pedirá aos três grupos, que observem os desenhos, também de diferentes tamanhos, que estão no chão da sala. Em seguida, explicará que cada grupo deve selecionar os desenhos segundo seu tamanho (se é do grupo médio, selecionarão desenhos médios) e deverão coloca-los no espaço do mural, destinado aos objetos médios. Esta atividade será realizada, seguindo as indicações de uma canção que a professora ensinará às crianças:
Canção:
Prof.: Quem são estas crianças pequenas que temos hoje aqui?
Crianças: Somos os pequeninos e pregaremos isto aqui.
Prof.: Quem são as crianças que estão aí paradas?
Crianças: Somos os médios e pregaremos isto em outro lado.
Prof.: E estes grandões? O que farão?
Crianças: Pregaremos os maiores e observaremos como ficou.
Recursos e materiais
Mural forrado com feltro.
Desenhos de diferentes tamanhos com lixa colada na parte de trás.

Equipe / Instituição:
Marieva Morales - Abraham Reyes

15 -  Visitamos a Petronila, Gurrufío e Anastácia

Pequenos grupos.
Objetivo Geral
Desenvolvimento a construção do conceito de classificação.
Experiência Significativa
Observando semelhanças e diferenças entre os objetos.
Desenvolvimento
A professora mostrará uma cesta com peças de roupas de diferentes tamanhos, as quais correspondem aos três bonecos: Petronila (pequena), Gurrufío (médio) e Anastácia (grande). A professora pedirá aos alunos que façam uma fila para que cada um pegue uma peça e vista no boneco, segundo o seu tamanho. Ao terminar, as crianças observarão como os bonecos ficaram vestidos.
Recursos e materiais
Três (3) bonecos de diferentes tamanhos.
Peças de roupas de diferentes tamanhos.

Equipe /Instituição:
Bárbara Novoa - UCAB-Caracas
Iriscelly Zárraga - Santa Teresita
16 -  Canção: Grande ou Pequeno

Atividades coletivas.
Objetivo Geral
Desenvolver a capacidade representativa.
Desenvolver a motricidad ampla.
Experiência Significativa
Imitando ações e sons.
Utilizando seus grandes músculos.
Desenvolvimento
A professora cantará a canção de grande ou pequeno.
CANÇÃO
O elefante é um animal grande muito grande,
Médio, médio é o cachorro
e pequeno , pequeno é o ratinho.
E agora repitam comigo.
À medida que cantam, os alunos representam os tamanhos.
Recursos e materiais
Instrumentos musicais.
Figuras referentes ao tema da canção.
Equipe / Instituição:
María Alejandra Torres - Oficina Zonal Fe y Alegría
Ruth Barrios - María Inmaculada
Igsoemali Idrogo - María Inmaculada
17 -  Experimenta!

Reunião de grupo.
Objetivo Geral
Desenvolver a construção do conceito de classificação.
Experiência Significativa
Investigando e descrevendo as características dos objetos.
Desenvolvimento
Coloca-se no centro do grupo de alunos, uma cesta de roupas de diversos tamanhos (pequenas, médias e grandes), com tantas peças, quanto o número de alunos da turma. Em seguida, quando a professora indicar, as crianças pegarão uma e colocam, dentro de um tempo determinado. Terminado e tempo, cada criança falará de sua experiência (exemplo: esta roupa não me serve, é muito pequena) e se passará a fazer comparações entre tamanhos.
Recursos e materiais
Peças de roupa de diferentes tamanhos.
Cesta para a roupa.
Equipe / Instituição:
Kislymar Matínez - UCAB-Guayana
Jessica Cabello - UCAB-Guayana
Lena Quintal - UCAB-Guayana
18 -  Conhecendo os Tamanhos
Pequenos grupos.
Objetivo Geral
Desenvolver a capacidade representativa (representações mentais).
Experiência Significativa
Adquirindo novos conceitos.
Desenhando.
Desenvolvimento
O professor apresenta objetos de diferentes tamanhos, indicando os que são pequenos, os medianos e os grandes. Em seguida, pedirá que desenhem objetos, pessoas ou animais nos diferentes tamanhos apresentados, pintem e os enfeitem com os materiais disponíveis que escolherem.
Recursos e Materiais
Objetos de diferentes tamanhos (Pequeno, médio e grande).
Materiais diversos (telas, papéis, cores, etc.).
Folhas brancas.
Equipe / Instituição:
Betty Arocha - U.E.M. Andrés Bello
Eugenia Cubas Yanes - Preescolar J.M. Siso Martínez

19 -  Atividade: Fábrica de Biscoitos
Nome da Atividade: Alimentando meus animais-mascotes
Realização em pequenos grupos.
Objetivo Geral
  • Desenvolver a capacidade representativa.
  • Identificar atitudes de proteção e de cuidado com os animais.
Experiência Significativa:
Dramatização.
Sensibilização e valorização dos cuidados com os animais.
Desenvolvimento
O professor formará grupos de três (3) crianças e pedirá que escolham entre os personagens da fábrica de biscoitos para realizar uma dramatização (uma rã, um cavalo e a criança que será o cozinheiro). Em seguida, incentivará que cada grupo dramatize livremente. Como encerramento da atividade, o professor conversará com as crianças sobre os cuidados que devemos ter com os animais.
Recursos e materiais: Vestuário para cada um dos personagens.

Nome da Atividade: Preparação de biscoitos
Realização em pequenos grupos.
Objetivo Geral
  • Desenvolver a construção do conceito de número.
Experiência Significativa
Comparando número e quantidade.
Enumerando objetos.
Desenvolvimento
O professor escreverá os ingredientes para fazer as bolachas de biscoitos, em um papel pardo ou no quadro de giz. Em seguida, lerá cada ingrediente, quando o apresentar concretamente. Logo após, irá especificar as quantidades que são necessárias para realizar os biscoitos (3 xícaras de farinha, 2 xícaras de açúcar, etc.). O professor mistura a massa e dá a cada criança uma parte para que ela monte o biscoito ao seu modo.
Recursos e materiais
Ingredientes para os biscoitos: ovos, farinha, açúcar, xícara, vasilha para misturar a massa, passas, tabuleiro, entre outros.
Giz ou canetas coloridas para escrever no quadro ou no papel.

Equipe / Instituição:
Nancy Montero - Dirección Nacional de Escuelas
Angel Tovar - Dirección Nacional de Escuelas
Ligia Urbina - María Inmaculada
Evelyn Córdova - María Inmaculada
Nome da Atividade: A Sinfonia dos Animais
Atividades Coletivas.
Objetivo Geral
  • Desenvolver a capacidade representativa (representações mentais).
  • Desenvolver a construção do conceito de classificação.
Experiência Significativa
Imitação de ações e sons.
Estabelecendo diferenças e semelhanças entre os objetos. Agrupamento.
Desenvolvimento
Elaborar cartões com figuras de animais. Colocar as crianças em círculo e distribuir um cartão a cada uma. Pedir que imitem o som do animal que está em seu cartão, cantando a canção "A Arca de Noé" reproduzirão os sons. (Obs.: O professor pode usar qualquer outra música de seu repertório para realizar a atividade.)
Posteriormente, o professor pedirá que elas se agrupem, segundo o animal de seu cartão (rã com rã, cavalo com cavalo) para que identifiquem o som do animal correspondente. Finalmente, escolherão o animal favorito.
Recursos e materiais
Cartolinas Pilots Cola Tesoura
Equipe / Instituição:
Yamilys Delgado - Santa Rosa de Lima
Rosa Betancourt - Puerto La Cruz
Milagros Ovalles - Puerto La Cruz
Nome da Atividade: Fazendo Biscoitos
Atividade em Pequenos Grupos.
Objetivo General
  • Desenvolver a construção do conceito de número.
Experiência Significativa
Contando Objetos.
Desenvolvimento
O professor convidará a turma para fazer uma receita de biscoitos, mas antes conversará sobre a higiene necessária na manipulação de alimentos e pedirá que todos lavem as mãos.
Apresentará os ingredientes e começará a fazer os biscoitos, com a ajuda das crianças, permitindo que cada uma coloque um ingrediente. Uma vez terminada a massa, o professor repartirá um pouco da massa a cada aluno , para que amassem os biscoitos e coloque os confeitos. Ao terminar, cada criança contará quantos biscoitos fez e os colocará no tabuleiro, que será levado ao forno pelo professor. Quando estiverem prontos para comer, as crianças poderão contar quantos confeitos têm cada um, ao mesmo tempo que compartilhem uma rica merenda.
Recursos e Materiais
Farinha de trigo.
Água.
Açúcar.
Ovo.
Leite.
Tabuleiro.
Chocolate.
Confeitos.
Panos de cozinha.
Equipe: Instituição:
Nelly Piñero - Preescolar J.M. Siso Martínez
Miguelina Herrada - Preescolar J.M. Siso Martínez
Clarissa Piña - U.E Juan de Dios Guanche
BRINCADEIRAS EM GRUPO

Pega-Pega/Pique-Pega
Bastante conhecida, tanto quanto a brincadeira anterior. E essa é bem simples. Escolhe-se uma criança para ser o "pegue". O pegue deve dar um tempo para as outras crianças se afastarem e depois ir correr atrás delas, até pegar uma, encostando a mão nas costas por exemplo! Quando pegar alguém, esse alguém se tornará o novo pegue e assim a brincadeira continua, até cansar. Vale lembrar que deve ser estabelecido um limite, por exemplo, numa rua o limite pode ser de uma esquina à outra, quem ultrapassar o limite passará a ser o pegue mesmo que tenha conseguido fugir! Essa é a brincadeira que mais possui variações, na intenção de dificultar e/ou divertir mais. Vejam logo abaixo algumas variações dela!
João-Ajuda/Pique-Ajuda
Uma brincadeira simples, ao estilo pega-pega. As regras são as mesmas da brincadeira anterior, sendo que quando o pegue conseguir pegar a primeira pessoa, os dois juntos vão ser pegues e terão que pegar o restante; e cada pessoa que for pegue vai entrando para equipe de pegues. É evidente que no final sobrará só uma pessoa a ser pegue. A mesma então torna-se a ganhadora da partida e tem o direito de escolher quem começará sendo o pegue da próxima partida!
Pique-Grude/Arrastão
Essa brincadeira é uma variação da brincadeira anterior. Inicia-se com um pegue e cada pessoa que for sendo pegue entra para a equipe de pegues. Só que existe um pequeno detalhe, a equipe de pegues não pode soltar as mãos, ou seja, os pegues correm atrás dos outros de mãos dadas. outro detalhe importante é que, como as mãos não podem ser soltas, somente os pegues das pontas que podem pegar outras pessoas. É divertido pois as pessoas podem escapar passando por debaixo dos braços dos "pegues" do meio da fila. Ganha aquele que sobrar por último!
João-Trepa / Pique-Alto
Apesar de esta brincadeira possuir um nome meio esquisito, ela é bem interessante. A palavra "trepa" é colocada no sentido de subir/elevar-se em algum lugar, como por exemplo, árvores, muros, cadeiras e etc. Essa brincadeira é outra variação de pega-pega, onde o pegue deve sair correndo tentar pegar os outros participantes. Só que nessa versão existe uma "mancha", em resumo: o pegue não pode pegar ninguém que esteja "trepado" (Em cima de um muro, árvore ou etc.), ele pode pegar apenas os participantes que estão correndo pelo chão. Lógico que ninguém pode passar a brincadeira toda em cima de um muro só assistindo, as pessoas que são pouco vistas correndo pelo chão tornam-se o pegue, pois todos devem estar em constante movimentação!
Cabra-Cega
Também é um estilo de pega-pega, só que um pouco mais complicado. As regras são as mesmas de pega-pega, só que dessa vez o "pegue" fica com os olhos vendados. Não é fácil fazer isso, o pegue precisa ficar bem atento a todos os sons!
Buldogue ou Tubarão
Uma variação bem divertida de pega-pega! Só que dessa vez o pegue é chamado de "buldogue" ou "tubarão", depende do grupo que está jogando! Ela também é simples, e será explicada da forma em que é brincada na rua, mas pode ser brincada de várias maneiras. Numa rua, todos os participantes ficam em uma única calçada (a outra deve ficar vazia), e o buldogue deve ficar no meio da rua. O buldogue grita "Buldogue!!!" e todos devem sair da calçada, atravessar a rua e subir na calçada do outro lado. Enquanto as crianças atravessam a rua o buldogue deve correr atrás delas tentando pegá-las e elas devem desviar, quando a criança subir na calçada o buldogue deve recuar pois a calçada é a mancha e ninguém que esteja nela pode ser pegue (só enquanto estiver na rua). Se o buldogue não conseguir pegar ninguém, ele grita "Buldogue!!!" novamente e as crianças devem voltar para a primeira calçada repetindo o mesmo esquema. A criança que permanecer na calçada após o grito do buldogue será considerada pegue, pois todas devem atravessar a rua. Variáveis: Muitas crianças brincam de forma que a pessoa que é pegue torna-se o novo buldogue. Outras crianças brincam ao método de João-Ajuda, onde cada nova criança que é pegue entra para a equipe de buldogues até que sobre apenas uma que será a campeã da partida e terá o direito de escolher quem vai ser o buldogue da próxima partida.
Touro
É uma brincadeira muito criativa e recomendada para aulas de educação física ou para quando se tem uma quantidade muito grande de amigos, pois fica bem mais interessante quando, pelo menos, vinte pessoas estão brincando. Inicialmente é escolhida uma pessoa para ser o touro, depois todas as outras crianças formam uma roda e ficam de mãos dadas. O touro é colocado no centro da roda! A obrigação do touro é fugir! Primeiro ele tem que conseguir escapar da roda, e as crianças que estão na roda devem fazer de tudo para não deixá-lo sair, segurando suas mãos o mais forte possível, atentos para o fato de que elas não podem soltar as mãos. Normalmente o touro vai correndo e se joga com toda força em cima dos braços das crianças da roda e consegue sair. Depois que o touro consegue livrar-se da roda ele deve correr o máximo possível e todas as crianças que estavam compondo a roda devem correr atrás dele, até pegá-lo. Ganha a criança que conseguir pegar o touro, e esta criança tem o direito de escolher o próximo touro (que não pode ser o mesmo de antes).
Guerra
A mais moderna verão de pega-pega, pois conta com um campo desenhado somente para essa brincadeira! Inicialmente deve-se desenhar o campo mostrado ao lado no chão, isso pode ser em uma quadra, no asfalto e etc. Dependendo da quantidade de pessoas que irão participar, o tamanho do campo deve ser aumentado, evidente que esses "corredores" tem que ter uma largura mínima onde possa passar uma pessoa tranqüilamente (percebam que as pessoas vão estar correndo dentro do campo, logo esses corredores não podem ser pequenos, pois isso dificulta muito além de facilitar as quedas!). Depois de desenhado escolhe-se o pegue. O pegue deve ficar na porta, aguardando enquanto os outros participantes se organizam dentro do campo! Até que o pegue grita: "Guerra" e entra no campo pela porta principal e sai correndo tentando pegar os participantes que estão dentro dela. Os traços correspondem a paredes, e eles não podem ser desobedecidos, uma pessoa só pode passar para outro compartimento através das portas. Isso gera um caráter cômico na brincadeira, pois como as paredes são ilusórias, às vezes a criança fica cara a cara com o pegue, mas ao mesmo tempo há uma grande distância entre os dois! Existe uma vantagem para quem não é pegue. As pessoas que não são o pegue podem ultrapassar as paredes em uma única situação: quando estiverem em um dos cantos do "compartimento", de costas para o canto, ele pode pular para trás passando para o compartimento mais externo (Mas somente se não for o pegue, estiver num dos cantos e de costas). A pessoa também pode sair para fora do campo, mas não pode ir muito longe nem passar muito tempo lá fora, a brincadeira deve acontecer dentro do campo. Quando o pegue encostar em alguém, esse alguém será o novo pegue. Variações: Esse campo é considerado por muitas crianças para iniciantes, mas ele é o campo básico do jogo. Muitas crianças adquirem experiência e fazem campos maiores e mais complexos, principalmente quando há muitas pessoas jogando, pois assim é importante um campo maior.
O Gato Mia
Versão mais aprimorada e restrita do pega-pega! Essa brincadeira é realizada em locais fechados, como por exemplo, na sala de uma casa. O local deve estar escuro. Um pegue é escolhido, então todas as luzes são apagadas e o pegue vai atrás das pessoas no escuro. Ninguém enxerga nada e isso é uma faca de dois gumes, pode ser super divertido e ao mesmo tempo muito perigoso. Quando o pegue, encostar em alguém ele deve dizer: "O gato mia" e a pessoa que foi pegue deve miar. Pelo "miau" da pessoa, o pegue deve descobrir quem é, se acertar a pessoa encontrada será o pegue, se errar ele repetirá a partida!
BRINCADEIRAS DE DUPLA

Pisca/Rir
A brincadeira de piscar é muito conhecida e simples. O método de brincar é o seguinte: Uma pessoa fica olhando sem parar para a outra, a primeira que piscar perde! Essas foi umas das brincadeiras usadas em programas de televisão, por exemplo, no programa da Xuxa.
Essa brincadeira também pode ser adaptada para "quem rir primeiro". Lógico que cada um fica fazendo suas "palhaçadas".
Mímica
Brincar de mímica também é fácil. Uma pessoa faz a mímica de um assunto escolhido anteriormente. Pode ser objeto, animal, artista, enfim. A pessoa não pode falar nenhuma palavra e a outra deve acertar do que se trata. Normalmente, estipula-se um tempo limite para a pessoa acertar. O que torna a brincadeira mais engraçada.
Forca
Outra brincadeira também bastante conhecida. Essa usa papel e lápis. Escolhe-se um tema e quem está fazendo a brincadeira pensa em uma palavra que não pode ser revelada. Essa pessoa coloca no papel, vários traços, de forma que a quantidade de traços seja o mesmo número de letras que possui a palavra pensada. A outra pessoa deve adivinhar que palavra é essa. Do lado dos traços desenha-se uma forca. E a pessoa que vai adivinhar a palavra começa a "chutar" as letras. Por exemplo: "Tem a letra A?", se tiver, os "As" existentes na palavra devem ser colocados na ordem exata em que existem na palavra ( Se o a estiver na segunda e quarta letras da palavra, com em casa, deve ser colocado um a em cima do segundo traço e outro em cima do quarto traço), se não tiver a letra a na palavra, uma parte do corpo deve ser desenhada na forca (cabeça, depois, tronco, depois cada um dos braços e depois pernas). Lembre-se, cada erro corresponde a uma parte, para colocar os dois braços devem existir dois erros. A pessoa ganha se acertar a palavra e perde se o corpo for completado na forca.
Papel, Pedra e Tesoura
Essa brincadeira era usada no jogo Alex Kid. É uma brincadeira simplificada do "par ou ímpar", só que ao invés da pessoa escolher um número, ela escolhe tesoura (Representada pelo número feito com a mão), pedra (número zero - mão fechada) ou papel (Número cinco - mão aberta). Como saber quem ganha ou perde? A regra é essa: Tesoura corta papel, pedra quebra tesoura e papel envolve pedra! Normalmente essa brincadeira é decidida em melhor de três.
Lenga-lenga
Brincadeira famosíssima entre as meninas, não passa de uma versão feminina de "Pedra, papel e tesoura". Começa com a musiquinha: "Lenga lenga lagosta lagoê", no momento do "ê" final, a garota tem que colocar tesoura, pedra ou papel. Logo em seguida a música continua: "Lagosta é xxxxx, Lagosta Lagoê". Esse "xxxxx" é variável... Se a menina ganhar ela fala "Papa" no lugar de "xxxxx" e coloca a mão na altura do ombro, se perder fala "Nhênhê" e coloca a mão para baixo e se der empate coloca a mão na boca dizendo "ô ô" ao estilo dos indiozinhos. Como se pode ver.. O Lagoê vai continuando e a cada "ê", é feita uma nova escolha.
Qual é a música?
Muito simples essa: Uma pessoa "canta" a música e a outra tenta adivinhar qual é. O problema é que a primeira tem que cantar a música com a boca fechada, deixando a segunda ouvir só o ritmo. Ficando algo do estilo: "MMmm Mmm mmm mm". (Ninguém precisa, necessariamente, abrir a boca para dizer um).
ENCHENDO GARRAFAS-FAIXA ETÁRIA: A PARTIR DOS 4 ANOS
OBJETIVOS: agilidade e velocidade
ANDREIA APARECIDA DA SILVA
Forma-se duas filas paralelas com mesma quantidade de alunos .
Dado o sinal o primeiro aluno de cada fila corre em direção ao balde com água , pega o copo enche de água e coloca na garrafa pet, feito isso o próximo jogador de cada equipe repete o processo sucessivamente . será vencedora a equipe que primeiro encher a garrrafa .
Balões Dançantes
Ricardo León (Coquito) OMEP
Materiais: balões coloridos; canetas hidrográficas; xerox de fotografias dos participantes; gravuras de animais, frutas, etc.; cola ou fita adesiva; tesouras; aparelho de som.
Participantes: grupamentos de qualquer faixa etária.
Procedimentos prévios:
Encher primeiramente os balões, em quantidade suficiente para cada participante ter o seu. Amarrá-lo para ficar cheio e seguro. No caso de participantes capazes de enchê-los solicitar para cada um fazê-lo.
Dependendo da faixa etária, o participante vai escrever seu nome no balão, ou seja, a primeira letra, para poder identificá-lo. Também pode ser colado o xerox da fotografia do participante ou gravuras que se tenha à disposição para esta atividade.
Atividades (sugestões):
Pôr uma música animada de fundo para dinamizar a atividade (sugestão “Uva de Caminhão” – Assis Valente).
Estabelecer com os participantes que enquanto a música estiver tocando, cada um ficará brincando com seu próprio balão, tentando não deixa-lo cair no chão. No momento que a música parar cada um dos participantes pegará seu balão, com as duas mãos, e falará em voz alta (podem até gritar), seu próprio nome, que estará escrito no balão, ou seja, terá o xerox de sua própria fotografia. No caso de gravuras gritarão o que estão observando nela. Retomar a brincadeira com os balões quando a música recomeçar, repetindo a mesma até que o interesse do grupo diminua.
Outra opção está em deixar os participantes misturarem os balões quando estão brincando com eles, sem deixá-los cair no chão. Quando a música parar, segurar um balão, qualquer, com as duas mãos e gritar o nome que estiver escrito no balão ou figura que observarem nele. Dependendo da idade dos participantes, quem está segurando o balão, procura o dono, gritando o nome escrito no balão para entregá-lo. Ao serem devolvidos todos os balões aos respectivos donos, volta a tocar a música retomando a brincadeira do começo. Repetir enquanto durar o interesse do grupamento.
Uma terceira opção de brincadeira, com os balões consiste em brincar com os balões misturando-os, sem deixá-los cair. Quando a música parar, segurar um balão qualquer e começar a gritar o nome que está escrito nele. Os participantes deverão prestar atenção para ouvirem que os estão chamando para dirigir-se até ele e pegar seu balão de volta. Uma vez de posse cada participante com seu balão recomeçar a brincadeira, repetindo-a tantas vezes quanto durar o interesse dos participantes.
Objetivos: integração do grupo; desinibição dos participantes; identificação de nomes, tanto dos colegas como de objetos; relação direta entre a observação e sua representação verbal; dinâmica corporal global.
Atividade com nomes e letras
Angela Pancheri

- Listar na lousa o nome dos alunos e pedir que só levante a mão o dono daquele nome. Depois fazer a leitura de todas as letras junto com o aluno e solicitar que o aluno diga o nome das letras para averiguar quais letras já consegue reconhecer. Num segundo momento, formar os grupos de quatro alunos no cantinho de leitura e entregar uma ficha com o nome para colar no caderno e algumas letras recortadas e pedir que procurem entre as letras dadas as que formam o seu nome e depois colem.
-Os demais alunos irão fazer atividades diversificadas – alguns farão no caderno de desenho outros no caderno de atividade em casa.


 1- CORRIDA DA ROUPA
Um varal amarrada (cadeira) pendurar duas camisetas uma para cada equipe.
Ao sinal o primeiro aluno de cada fileira deverá ir até o varal colocar a camiseta e retornar para sua equipe tirar a camiseta e entregar para o próximo companheiro, este deverá vestir a camiseta ir até o varal tirar a camiseta e pendurara-la.

2- SEPARAR CEREAIS
Pratos descartáveis ou vasilhas com arroz, feijão/ feijão e macarrão. Duas fileiras, ao sinal o primeiro aluno de cada fileira deverá ir até a seu prato e separar os cereais.

3- COPO VOADOR
Um copo descartável e um barbante fino ou linha de sapateiro. O barbante deverá estar amarrado nas extremidades e o copo descartável com um furo para passar o barbante. Ao sinal o primeiro aluno de cada equipe deverá sobrar o copo para que ele chegue do outro lado do barbante.

8 out (1 dia atrás)
4 – ABRI E FECHA

Duas garrafas pet com tampas. Ao sinal do primeiro aluno de cada fileira deverá abrir a garrafa e passar para o companheiro de trás este deverá fechar a garrafa, assim sucessivamente.

5- CARREGUE A BOLINHA
Duas mãos grandes e bolinhas coloridas. Ao sinal o primeiro aluno de cada fileira deverá equilibrar a bolinha na mão grande e leva-la ate um ponto determinado, voltar entregar a mão para o companheiro que deverá fazer o mesmo percurso.

6- GARRAFA CHEIA
Duas esponjas, dois baldes com água e duas garrafas pet. O ultimo aluno deverá estar com uma esponja e deverá molhar a esponja e passar para os companheiros da frente até que chegue ao primeiro, este deverá correr até a garrafa espremer a esponja para encher a garrafa, volta para o ultimo lugar molha a esponja passa novamente para os companheiros da frente, assim sucessivamente.

7- ESTOURO DAS BEXIGAS.
Bexigas para cada aluno da equipe. Ao sinal encher a bexiga até estourar.

8 out (1 dia atrás)
8- CORRIDA DO SACO

Saco de estopa. Duas fileiras uma de frente a outra. Ao sinal o primeiro aluno de cada equipe deverá pular até a próxima fileira entregar o saco para o companheiro que deverá retornar assim sucessivamente.

9 – CORRIA TÊNIS
Duas equipes sem tênis ( para esta prova todos deveram estar usando tênis de preferência tênis diferente). Ao sinal correr ate um ponto determinado procurar seu tênis e calçar, voltar ao ponto de partida.

10 – CORRIDA DE OBSTACULOS.
06 Garrafas pet amarradas em barbante, e 06 cadeiras amarradas com barbantes. Duas equipes frente aos obstáculos. Ao sinal o primeiro aluno deverá pular as garrafas amarradas com barbante e passar por baixo das cadeiras amarradas com barbantes. Ir até o final voltar bater na mão no companheiro que devera fazer o mesmo percurso.

11- BEXIGA SUSPENSA
Uma bexiga pendurada, duas crianças com o olhos vendados , com o jornal (formato de espada) na mão. Ao sinal tentar acertar a bexiga.

12 – TODOS MOLHADOS
Todos os alunos da classe, dois a dois com uma bexiga na mão frente a frente. Jogar a bexiga um para o outro tentando não deixar cair no chão se não... (chuaaaaa) . termina a brincadeira quando não tiver mais bexigas cheias.


BRINCANDO COM O CORPO- ALGUMAS SUGESTÕES: http://blog.orolix.com.br/blog/espacocriativo/images/2bbipv.gif
BRINCADEIRAS

·         Macaco Simão mandou...
·         Morto Vivo
·         Modelar estátua
·         Espelhar a outra pessoa
·         Produzir sons com o corpo: estalar a língua, os dedos, bater palmas, bater o pé...
·         Aplaudir de várias maneiras, com diferentes partes do corpo.
·         Pular corda.
·         Corrida em marcha lenta, marcha ré, canguru, tartaruga, para o lado, de ponta de pé, de calcanhar...
·         Fazer mímica dramatizando contos.
·         Faz de conta: O que você faria se fosse um peixe....uma cozinheira.....um apresentador de TV...uma fotógrafa.
·         Brincar de tesoura, papel e pedra.
·         Braço de ferro.
·         Carriola humana.
·         Promover um mini- circuito de movimentos diversos, onde tenham que: rolar, subir, andar, saltar, carregar, dançar, equilibrar, virar cambalhota, engatinhar etc. Use cadeiras, bancos, colchonetes, bexigas....
·         Brincadeira “Coelhinho sai da toca”
·         Brinquedos Cantados: “Corre Cotia”, “Balança Caixão”,  “Tango, Tango” , “Arroz, feijão, Batata e Macarrão” etc.
·         Atividades de relaxamento (massagem, toque, abraço, exercícios respiratórios)
·         Cobra cega
·         Marcha Soldado.
·         Caras e caretas:  expressões de bravo, feliz, triste, sono, gripe, frio, calor...
·         Estourar bolinhas de sabão
MÚSICAS

·         “Cabeça, ombro, joelho e pé”
·         “Formiguinha” (Fui ao mercado comprar café veio a formiguinha e subiu no meu pé...).
·         “Lá na estrada em curva fez um furo no pneu consertamos com chiclé”
·         “Palminhas, palminhas”.( Nós vamos bater, depois as mãozinhas... para trás esconder ...)
·         ”Se você está contente bata palmas, dê um pulo...”
·         “A Barata-tá-tá-tá no espelho a se olhar (Coloca-se as mãos na frente do rosto)
E a outra que lá está/Tá fazendo tudo igual, tudo igual, tudo igual...
Abre a asa(abre o braço direito),
abre a asa (abre o braço esquerdo),
fecha a asa (fecha o braço direito),
fecha a asa (fecha o braço esquerdo).
Pega uma pata (levanta a perna direita).
Pega a outra (levanta a perna esquerda).
E dá um vôo (dá um salto bem alto!)
E mexam, remexam muiiiito o esqueleto!!!


 Cantiga 65 - CACHORRINHO ESTÁ LATINDO


Cachorrinho está latindo
Lá no fundo do quintal.
Cala a boca, cachorrinho,
Deixa o meu benzinho entrar.
Ô esquindô lê, lê!
Ô esquindô lê, lê, lá, lá!
Ô esquindô lê, lê!
Não sou eu que caio lá!
Cachorrinho está latindo
Lá no fundo do quintal.
Cala a boca, cachorrinho,
Deixa o meu benzinho entrar.

Brincadeira:
Quem está no centro da roda pula num pé só. O resto bate palmas, desenvolvendo o ritmo
PARTICIPANTES: No mínimo três.
ORGANIZAÇÃO: Em roda com uma criança no centro.
COMO BRINCAR: A turma gira e canta. No verso “Ô esquindô lê, lê!”, as crianças batem palmas.
A do centro escolhe um colega. Os dois cantam essa parte pulando ora com um pé, ora com outro. A criança do centro cede o seu lugar para a escolhida da roda e todos recomeçam.

Cantiga 64 - A galinha do vizinho


A galinha do vizinho
Bota ovo amarelinho.
Bota um, bota dois, bota três,
Bota quatro, bota cinco, bota seis,
Bota sete, bota oito, bota nove,
Bota dez!

Brincadeira:

Com ela, a turminha vai aprender a contar
_ PARTICIPANTES: No mínimo dois.
_ ORGANIZAÇÃO Em roda.
_ COMO BRINCAR As crianças cantam a música e ao chegar ao número dez dão um pulo e se agacham.
Cantiga 18 - PINTINHO AMARELINHO


MEU PINTINHO AMARELINHO
CABE AQUI NA MINHA MÃO,
NA MINHA MÃO.
QUANDO QUER COMER BICHINHO
COM SEUS PEZINHOS
ELE CISCA O CHÃO.
ELE BATE AS ASAS
ELE FAZ PIU-PIU
MAS TEM MUITO MEDO É DO GAVIÃO.[BIS



Brincando com o barbante


Grupo: alunos de pré-escola à 4a série.

Objetivos: a dinâmica é uma ótima oportunidade para você observar melhor o comportamento da turma.

Tempo: 1 aula

Local: A brincadeira pode acontecer na classe ou no pátio, dependendo do tamanho da turma.


Material: bastam um rolo de barbante e uma tesoura sem ponta para começar a brincadeira.

Desenvolvimento: Forme com os alunos uma grande roda e, em seguida, cada criança mede três palmos do cordão, corta para si e passa o rolo adiante. Sugira que cada um brinque com o seu pedacinho de barbante.
Balançando o cordão no ar ou formando uma bolinha com ele, por exemplo, as crianças podem perceber sua textura, flexibilidade e versatilidade. Depois, toda a turma, incluindo o professor, cria no chão um desenho com o seu pedaço de barbante.
Prontas as obras, o grupo analisa figura por figura. Comentários e interpretações são muito bem-vindos.
Após percorrer toda a exposição, cada um desfaz o seu desenho e amarra, ponta com ponta, seu barbante ao dos vizinhos.
Abaixados ao redor desse grande círculo feito de cordão, as crianças devem criar uma única figura.
Proponha que refaçam juntos, alguns dos desenhos feitos individualmente. No final, em círculo, a turma conversa sobre o que cada um sentiu no decorrer da brincadeira.
Enquanto as crianças escolhem juntas qual o desenho irão fazer e colocam a idéia em prática, o professor aproveitará para observá-las. Nessa fase da brincadeira surgem muitas idéias e cada aluno quer falar mais alto que o colega.
Alguns buscam argumentos para as suas sugestões, outros ficam chateados, debocham da situação, ameaçam abandonar a roda e, às vezes, cumprem a palavra.
O professor deve ficar atento ao comportamento da turma durante esses momentos de tensão. Eles serão produtivos se você abandonar sua posição de coordenador e deixar o grupo resolver seus impasses, ainda que a solução encontrada não seja, na sua opinião, a melhor.

Conclusão: Por meio desse jogo, os alunos tomam consciência de seu potencial criativo e se familiarizam com as atividades em equipe.
É muito interessante repetir a brincadeira com a mesma classe semanas depois. É hora de comparar os processos de criação com o barbante, avaliando a evolução do grupo diante de um trabalho coletivo.


Lógicos
Jogo “O mestre mandou”



Objetivos:

Os alunos farão comparações cada vez mais rápidas  quando estiverem pensando na peça que se encaixe em todas as  condições dos atributos ditados pela professora.


Preparação:

Material: Uma caixa de Blocos Lógicos, composto por quarenta e oito blocos geométricos, composto de quatro tipos de “figuras”: círculo, triângulo, quadrado e retângulo; que variam em três cores: azul, vermelho e amarelo; em dois tamanhos: pequeno e grande; e em duas espessuras: fina e grossa.


Desenrolar:

Os alunos deverão encontrar a peça que obedeça à seqüência de comandos estabelecida pela professora.
A seqüência poderá ser iniciada com os atributos: círculo, azul e grosso.
Os alunos escolherão a peça correspondente. O comando seguinte é mudar para a cor vermelha. Eles selecionarão um círculo grosso e vermelho.  Em seguida, devem mudar para a espessura fina.  Então, um círculo vermelho e fino deverá ser selecionado. 
A professora poderá continuar acrescentando comandos ou apresentar uma seqüência pronta.
Faça depois o processo inverso. Os alunos serão apresentados a uma nova seqüência de comandos, já com a última peça. 
Eles deverão reverter os comandos para chegar à peça de partida.


Conclusão:

A atividade é essencial para o entendimento das operações aritméticas, principalmente a adição como inverso da subtração e a multiplicação como inverso da divisão.


Brincando com o dicionário

Objetivos:

O uso do dicionário amplia o vocabulário, melhora a interpretação da leitura e esclarece as dúvidas ortográficas.

Através desse jogo o aluno sente-se incentivado a descobrir o significado da palavra desconhecida e familiariza-se brincando com o uso do dicionário.


Preparação:

Material: Um dicionário, folhas de papel, lápis ou caneta, lousa para anotar as respostas e a pontuação dos grupos.


Desenrolar:

Divida a classe em grupos. Apenas um dicionário será utilizado por um grupo a cada rodada.
O primeiro grupo, que terá o dicionário em mãos, escolherá uma palavra do dicionário que ache desconhecida por todos, falando-a em voz alta para os demais grupos.
Se houver algum integrante de qualquer grupo que saiba a resposta correta ao ser anunciada, antes de começar a rodada, marca 4 pontos para o seu grupo.
Cada grupo escreverá numa folha um significado para a palavra, inclusive o grupo que tem o dicionário em mãos, que colocará a definição correta.
A professora recolhe as folhas e lê todas as definições, inclusive a correta. Escreve as respostas na lousa.
Cada grupo escolhe a definição que achar certa.
O grupo conta a definição correta.
A professora marca na lousa os pontos dos grupos de acordo com a seguinte regra:
2 pontos = para o grupo que deu a resposta correta.
3 pontos = para o grupo que escolheu a palavra, se ninguém tiver acertado ou 1 ponto para cada acerto por grupo.
4 pontos = para o grupo que tiver um integrante que saiba a resposta correta ao ser anunciada, antes de começar a rodada.
O jogo continua até que todos os grupos tenham escolhido a palavra no dicionário ou até que algum grupo tenha atingido um número de pontos estipulado anteriormente pela classe.



Comprimento
Medida de Comprimento - Dinâmica


Grupo: crianças a partir de cinco anos.

Objetivos: desenvolver a noção de estimativa, equivalência e medida por meio de comparações. A dinâmica desse exercício estimula o raciocínio e a percepção das crianças em relação às medidas-padrão.

Tempo: 1 aula

Local: sala de aula ou uma sala grande.

Material: Esta é uma brincadeira que basta usar o material dos próprios alunos para começar a brincar: caneta, uma borracha, um livro, ou até o próprio palmo das crianças, uma régua, uma trena ou uma fita métrica.

Desenvolvimento: Para começar a brincadeira, divida a turma em quatro grupos.
Escolha para cada um deles um objeto que deve substituir a régua como unidade de medida.
Esse objeto pode ser uma caneta, uma borracha, um livro, ou até o próprio palmo das crianças.
Em seguida, defina os objetos que cada grupo deve medir — por exemplo, a carteira, a porta, a lousa ou a altura da parede onde começa a janela.
Antes que a turma comece a realizar as medições, estimule as crianças a fazer estimativas: quantas borrachas elas acham que seriam necessárias para determinar o comprimento da mesa? E a largura?
Como seriam os resultados se, em vez desses objetos, a classe usasse um livro e um caderno para fazer as medidas? E assim por diante.
Depois, peça a eles para fazerem as medições, anotando num papel os resultados encontrados por cada membro do grupo. Enquanto isso, desenhe na lousa uma tabela a da figura.
Observando-se a tabela, fica claro como as medidas informais são imprecisas.
Peça então à turma para repetir as medidas usando uma régua, uma trena ou uma fita métrica.
Dessa vez as medidas vão diferir muito pouco de um aluno para outro e de um grupo para outro.
Utilize essas constatações para discutir com as crianças a experiência que acabaram de ter.

Conclusão: É bem provável que elas cheguem sozinhas à conclusão de como é importante se ter medidas-padrão.

Caça ao objeto:
Faz-se uma lista de objetos fáceis de serem encontrados no local onde a festa será realizada.
Reúne-se os participantes para avisá-los do tempo disponível e o nome do objeto que devem procurar. Ao sinal de um apito todos correm para procurá-lo. Ao sinal de outro apito devem retornar pois é o aviso de que o tempo terminou ou o objeto já foi achado. O primeiro que retornar com o objeto pedido é o vencedor. Se o objeto não for encontrado , pede-se o seguinte da lista.

Corrida do milho: Traçam-se duas linhas paralelas e distantes. Atrás de uma das linhas, coloca-se uma bacia com grãos de milho.  Atrás da outra linha, os participantes são reunidos aos  pares - um deles segura uma colher e o outro um copo descartável.
Dado o sinal, os participantes com a colher correm até a bacia.  Enchem a colher com milho e voltam para a linha de largada.  Lá chegando, colocam o milho no copo que seu companheiro segura.  Vence a dupla que primeiro encher o copinho com milho.

Corrida do ovo na colher: Marca-se um local de partida e outro de chegada. Cada corredor deve segurar com uma das mãos (ou a boca) uma colher com um ovo cozido em cima.
Vence quem chegar primeiro ao local de chegada, sem derrubar o ovo. Se quiser variar, substitua o ovo cozido por batata ou limão.

Corrida do Saci ou Corrida dos sapatos:
 Traçam-se duas linhas paralelas e distantes. Na primeira linha, os corredores tiram os sapatos, que são  levados para trás da outra linha, onde são misturados.
 Dado o sinal, eles devem sair pulando com o pé esquerdo  até a outra linha. Depois de calçar seus sapatos, devem retornar,  pulando com o pé direito. Vence quem chegar primeiro  ao local de chegada, estando calçado de modo correto.

Corrida do saco: Marca-se um local de partida e outro de chegada. Cada corredor deve colocar as pernas dentro de um saco grande de pano e segurá-lo com ambas as mãos na altura da cintura. Dado o sinal, saem pulando com  os dois pés juntos. Vence quem chegar primeiro ao local de chegada.
 Nota: Para substituir o saco de pano pelo de plástico (grosso)  de lixo, que é mais escorregadio, é preciso testar o local  da corrida com antecedência.

Corrida dos pés amarrados:
 Marca-se um local de partida e outro de chegada.  Os participantes sno reunidos em duplas. Com uma fita,  o tornozelo direito de um é amarrado ao tornozelo  esquerdo de seu par.
Dado o sinal, as duplas participantes devem correr até a chegada.  Marca-se um local de partida e outro de chegada.   Vence a dupla que chegar primeiro.

Dança da laranja: Formam-se alguns casais para a dança.
Uma laranja é colocada entre as testas de cada par.  Os casais devem dançar, sem tocar na laranja com as mãos.  Se a laranja cair no chão, o casal é desclassificado.  A música prossegue até que fique só um casal.

Dança das cadeiras: Forma-se um círculo com tantas  cadeiras quantos forem os participantes menos uma.  Os assentos ficam voltados para fora. Coloca-se música e todos  dançam em volta das cadeiras. Quando a música parar,  cada um deve sentar numa cadeira. Um participante vai sobrar e sair da brincadeira. Tira-se uma cadeira e a dança recomeça.
Vence quem conseguir sentar-se na última cadeira.



 COMPREENSÃO DOS ABSURDOS

Tanto eu quanto as crianças, adoramos fazer o jogo dos absurdos. Elas gostam tanto que até arriscam inventar os seus absurdos.
Essa atividade estimula a compreensão da criança em relação a uma série de fatores de seu meio físico e social.
Vou postar uma lista desses absurdos que podem ser trabalhados com as crianças.
- Vi um cachorro escovando os dentes.
- João calçou o sapato na mão.
- Minha gatinha gosta de passar batom.
- Papai guarda o carro na casa do cachorro.
- O cavalo pegou todo o dinheiro e foi depositar no banco.
- Mamãe guardou o sapato na geladeira.
- Papai preparou um gostoso café com sal e pimenta.
- A gatinha Mimi, botou dois ovos.
- O cachorro da vovó lava roupa com sabão em pó.
- O sorvete estava muito quente.
- A bicicleta chegou apitando e jogando fumaça.
- Cortei um pedaço de leite para o meu colega.
- Papai ganhou um vestido novo.
- Mamãe guardou os livros na geladeira.
- Os automóveis devem andar na calçada.
- O peixinho subiu na árvore e foi para o seu ninho.
- A gatinha estava lambendo sabão.
- O gatinho da vovó tem uma pata só.
- Plantei a rosa no vaso do banheiro.
- Mamãe varreu a casa com a escova de cabelo.
- Mariazinha colou o trabalhinho com a cola do cachorro.
- Ganhei ovinhos de Páscoa no Natal.
- Jéssica come pão com sabão em pó.
- Mayara lava roupa com margarina.
Alguns absurdos dessa lista foram os alunos que criaram.

3 jul
ANALOGIA VERBAL

Completar frases envolvendo relação: cores, tamanho, gênero, número...
- A cenoura é alaranjada, o tomate é...
- A abóbora é grande, a uva é...
- O gato faz par com a...
- O cachorro faz par com a...
- A vaca faz par com o...
- O menino faz par com a...
- O galo faz par com a...
- Eu tenho uma folr, se ganhar mais uma fico com...
- Clarissa tem uma banana, se eu lhe der mais uma, ela fica com...
- O feijão é preto, o arroz é...
- O papai é marido da...
- O vovô é marido da...
- O dindo é marido da...
- O tio é marido da...
- O vizinho é marido da...
- O leite é branco, o café é ...
- O moranguinho é pequeno, a melancia é...
- O gelo é frio, o fogo é...
- O céu é azul, a grama é...
- A avó é mãe da...

3 jul
O COMANDANTE MANDOU...
O comandante mandou:
- marchar em linha reta.
- marchar em circulo.
- marchar na ponta dos pés.
- marchar inclinado para baixo.
- dar um passo para frente.
- fazer continência.
- tocar corneta.
- tocar tambor.
- tirar o chapéu.
- dar um pulinho, dois, três...
- Colocar a mão no pé esquerdo/direito
- colocar a mão direita no pé esquerdo.
- colocar a mão esquerda no pé esquerdo.
- colocar a mão direita no pé direito.
- colocar a mão no ombro do amigo.
- colocar as duas mãos na cabeça.
- fazer "fonfom" no nariz do amigo.

3 jul

VAMOS IMAGINAR UMA COISA
-muito macia - muito alta
-muito dura - muito bonita
-muito reta -muito cheirosa
-muito curva -muito fria
-muito molhada -muito quente
-preta -grande
-vermelha -pequena
-amarela -triste
-azul -alegre
-branca -muito gostosa
-com gosto ruim -escura
-com cheiro bom -melada
-salgada -muito suja
-doce
-com cheiro ruim

3 jul
COMO VENCER OBSTÁCULOS
-Imaginem que estamos embaixo de uma laranjeira, mas o tronco é muito grosso e não podemos apanhar as laranjas.
O que poderíamos fazer para chegar lá em cima?
-Imagine que estamos no início de uma ponte e ela se parte ao meio.
O que faremos para chegar do outro lado?
- Imaginem que estamos bem no meio de um lago, dentro de um barquinho remando, de repente os remos caem dentro da água. O que podemos fazer?
- Estamos em um telhado e subimos com a ajuda de uma escada, mas a escada caiu.
O que vamos fazer?
-Estamos na beira de um rio, pescando e nosso chapéu caiu dentro do rio.
Como vamos pegá-lo?

3 jul
ASSOCIAR IDÉIAS LIVREMENTE
Relacionar a palavra dita pelo professor com outras "palavras" ou "frases"
O que te lembra:
-vaca
-homem
-bicicleta
-frutas
-natal
-nuvem
-escola
-trabalhinhos
-recreio
-saúde
-remédio
-praia
-frio
-triste
-felicidade
-saudade

3 jul
ORGANIZAR PENSAMENTOS FORMANDO CONCEITOS
O Que é...
-uma casa (como é feita, de que, que cor...)
-uma piscina (para que serve, o que tem dentro, o que precisa para comprar...)
-um médico (o que faz, como se veste, onde estudou...)
-um marinheiro (onde trabalha, o que faz, como ajuda as pessoas...)
-uma árvore (...)
-uma nuvem (...)
-a chuva (...)
-a mãe (...)
-o prefeito (...)
-o vereador (...)

3 jul
COMPLETAR FRASES LIVREMENTE
-A bandeira do Brasil é...
-Papai é...
-Mamãe é...
-Clarissa, tirou o casaco por que...
-O menino sujou o sapato no...
-Lauren estava na praia e...
-Amanhã, eu vou passear no...
-Papai vai me comprar...
-A chuva era tão forte, que...
-O dia, hoje está...
-Ontem, eu sonhei com...
-Eu fui na janela e vi...
-A maçã que eu comprei, estava...
-Eu gosto de brincar de...
-Não gosto de comer...
-Não gosto de gente...
-Venho na escola porque

3 jul
JOGO DAS RIMAS
- A minha amiga Rita, pôs no cabelo uma fita...
- A fita era amarela, igual a da...
- Anda depressa, João. Lava a mão com...
- Se você é meu amigo, não deve brigar...
- Ganhei um lindo anel do meu primo...
- O meu irmãozinho está muito...
- Antonio, traz na mão, um bonito...
- Vou fazer um suco de melão com...

Essa e uma brincadeira com números.
- Um, dois, feijão com...
- Três, quatro, feijão no...
- Cinco, seis, carne de...
- Sete, oito, café com...
- Nove, dez, lavo meus...


DINÂMICA DO ABRAÇO
1. Contar a historinha dos três ursos e a Cachinhos Dourados, utilizando os móveis da foto do orkut ou os ursinhos de pelúcia e a boneca de pano.
2. Utilizar os ursos e a boneca de pano para representar o abraço de dois, abraço de três, abraço de quatro.
3. Recortar de revistas diversos tipos de abraços e pedir que eles imitem.

10 jun
DINÂMICA DA CALHA
Objetivo: Percepção + trabalho em equipe+disciplina
Material: Cortar tiras de cartolina (larga+/- 15cm e 50cm de cumprimento), bolinha pequena e balde.Dobrar essas tiras ao meio no sentido do comprimento.
Procedimento: Levar a bolinha até o balde numa tira de cartolina
Dividir a equipe em dois grupos.
Marcar um ponto de partida e o tempo (30 seg) para conduzirem a bolinha da partida até o balde (analisar a distância de acordo com o número de participantes) com algumas observações:
-Os participantes não poderão deixar a bolinha voltar na cartolina, sempre que isso ocorrer a bolinha volta ao início (largada).
-Deverão conduzir a bolinha dentro das tiras de cartolina em formato de calha.
O grupo deverá ter a percepção que ficando um ao lado do outro a bolinha chegará ao balde.
Assim que a equipe chegar a essa percepção, dificultar afastando o balde para mais distante, para que estes percebam a necessidade de sair do lugar e ir para o final colocando a calha ao lado do amigo e assim sucessivamente até que a bolinha chegue ao balde.

10 jun


ADORO QUE MEUS ALUNOS...
Tenham carinho uns pelos outros. De forma que já inicio o dia deles com a seguinte canção:

BOA TARDE! COMO VAI VOCÊ,
MEU AMIGO COMO É BOM TE VER

PALMA, PALMA
MÃO COM MÃO

E UM ABRAÇO
DE CORAÇÃO.

(Eles escolhem o primeiro amigo na roda que estiver ao seu lado, em seguida trocam)

10 jun
O LAÇO E O ABRAÇO
O Laço e o Abraço

Meu Deus!!! Como é engraçado!...
Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço...
Uma fita dando voltas? Se enrosca...
Mas não se embola , vira, revira, circula e pronto: está dado o abraço.
É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de braço.

É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido, em
qualquer coisa onde o
faço.
E quando puxo uma ponta, o que é que acontece? Vai escorregando
devagarinho, desmancha,
desfaz o abraço.
Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.
E na fita que curioso, não faltou nem um pedaço.
Ah! Então é assim o amor, a amizade. Tudo que é sentimento? Como um
pedaço de fita?
Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora,
deixando livre as duas
bandas do laço.

Por isso é que se diz: laço afetivo, laço de amizade.
E quando alguém briga, então se diz - romperam-se os laços.-
E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum
pedaço.

Então o amor é isso...
Não prende, não escraviza, não aperta, não sufoca.
Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço.

15 jun
Musicas
Bom dia, o criançada de volta aqui estou
Deixei a mamãe em casa
Sua amiga agora eu sou (dá um abraço)
Roda, roda, roda
Pé, pé, pé
Roda, roda, roda
Caranguejo peixe é

http://img1.orkut.com/images/small/431/49757431.jpg
15 jun
Musica
Coleguinha oi
Coleguinha oi
Você mora dentro do meu coração, vem brincar comigo
Me de um abração. ( Abraça o amigo)

15 jun



Eu canto...
Oi, tudo bem?
Você precisa de um amigo e eu também
Oi, tudo bem?
Você precisa de um amigo e eu também
Uma boa amizade faz um grande bem...
Se você quer ser meu amigo, eu quero ser o seu também.

31 ago (1 dia atrás)
Música
Levante um braço
Levante o outro
Faz bamboleio
Mexe o pescoço
Olha pra cima
Olha pra baixo
Escolhe um amigo
E dá um abraço

 HISTÓRIA MOVIMENTADA

AS DUAS AMIGUINHAS

HAVIA DUAS AMIGUINHAS QUE SE DAVAM MUITO BEM; SEMPRE ANDAVAM DE MÃOS DADAS.
UMA CHAMAVA-SE LÚCIA E A OUTRA MARIAZINHA. ELAS NÃO SAÍAM DE CASA SEM A AUTORIZAÇÃO DE SUAS MÃES.
MAS, UM DIA, ACONTECEU QUE A MÃE DE LÚCIA SAIU; ELA APROVEITOU PARA IR À CASA DE MARIAZINHA.
AÍ, OCORREU-LHE A IDÉIA DE IR TOMAR BANHO NO LAGO.
ELAS SABIAM QUE SUAS MÃES, SE SOUBESSEM, NÃO GOSTARIAM , MAS NÀO TIVERAM FORÇA PARA VENCER A TENTAÇÃO.
FORAM E COMEÇARAM A NADAR; MAS, NUM CERTO PONTO, LÚCIA PERDEU AS FORÇAS.
(BRAÇOS A NADAR)
MARIAZINHA SAIU CORRENDO PARA CHAMAR ALGUÉM QUE A SOCORRESSE.
(MARCHA ACELERADA)
DEPOIS, AS MENINAS ESTAVAM COM MEDO DE CONTAR ÀS SUAS MÃES O QUE HAVIA ACONTECIDO.
MAS, LÚCIA, MUITO SINCERA AO CHEGAR EM CASA, A PRIMEIRA COISA QUE FEZ, FOI PEDIR DESCULPAS PELA DESOBEDIÊNCIA, E DISSE QUE QUASE TERIA SE AFOGADO , SE MARIAZINHA NÃO TIVESSE IDO CHAMAR ALGUÉM PARA SOCORRÊ-LA.
EM OUTRA OCASIÃO, AS DUAS AMIGUINHAS FORAM DAR UM PASSEIO DE BICICLETA.
-PERNAS FLEXIONADAS COMO SE FOSSE NA BICICLETA.
MAS, DESTA VEZ, QUEM FOI INFELIZ FOI MARIAZINHA, QUE CAIU E MACHUCOU O PÉ.
LÚCIA NÃO AGUENTAVA CARREGAR MARIAZINHA E ESTA TEVE DE IR PULANDO EM UMA PERNA SÓ, ATÉ CHEGAR EM CASA.
(PULAR COM UMA PERNA SÓ)
DESTA VEZ TAMBÉM ESTAVAM COM MEDO, MAS ELAS SABIAM QUE DEVIAM SEMPRE FALAR A VERDADE.
ESTAS MENINAS TINHAM MUITOS BRINQUEDOS, MAS O DE QUE ELAS MAIS GOSTAVAM ERAM OS SOLDADINHOS.
(MARCHAR)
ELAS GOSTAVAM TAMBÉM DE BRINCAR NA CHUVA.
(CANTAR A MÚSICA:QUANDO ESTÁ CHOVENDO, A JANELINHA FECHA; QUANDO ESTÁ PASSANDO, A JANELINHA ABRE: PRÁ LÁ PRÁ CÁ, PRÁ LÁ PRÁ CÁ. MOVIMENTOS COM OS BRAÇOS, ACOMPANHANDO A LETRA)

30 ago)
 ILIBUM
A PROFESSORA COMEÇA CONTANDO UMA HISTÓRIA DE UM MENINO QUE ESTAVA SENTADO EMBAIXO DE UMA ÁRVORE E COMEÇA A CANTA: ILIBUM, ILIBUM E TÁ, TÁ, TÁ QUANDO EU CANTO ILIBUM TODO MUNDO QUER CANTAR.
DE REPENTE
CHEGA UM ELEFANTE E COMEÇA A CONVERSAR E FALA PARA O MENINO QUE TAMBÉM SABE CANTAR A MÚSICA E O MENINO PEDE PARA VER E O ELEFANTE COMEÇA A CANTAR O REFRÃO. APARECE O MACACO, A FORMIGUINHA, O BICHO PEGUIÇA E POR ÚLTIMO A CRIANÇADA TAMBÉM CANTA.
LEMBRANDO-SE QUE O ENGRAÇADO É QUE CADA VEZ TEM QUE MUDAR A VOZ, COMO: ELEFANTE, FORMIQUINHA, BICHO PREGUIÇA E PULAR E SE COÇAR IGUAL AO MACACO. (É UM ESPETÁCULO E Q CRIANÇADA GOSTA MUITO E PEDE BIS)

  
Caderno de Desenvolvimento Global


Nesse tópico vou postar, aos poucos, meu CADERNO DE DESENVOLVIMENTO GLOBAL. Chamo-o assim, pois tem um pouquinho de cada coisa. Nos meus planos de aula só coloco o número da página e lá vai ele para a sala. Se finda as atividades antes do horário, a quem eu recorro? É só abrir e como uma caixinha mágica vai saindo uma porção joguinhos que eles adoram.

Vamos começar?
 


JOGOS IMITATIVOS
Vamos imitar?
_A mamãe:
*varrendo a casa
*arrumando a cama
*passando roupa
*lavando a roupa
*escovando o cabelo
*pintando as unhas

_O papai:
*dirigindo o carro
*tirando o chapéu
*escrevendo
*nadando
*pescando

_A vovó:
 *fazendo tricô
*costurando
*cozinhando
*amassando o pão

_O vovô:
*subindo escada
*colhendo flores
*capinando
*fazendo ginástica
*andando de bengala

_O irmão(a):
*calçando sapatos
*tomando mamadeira
*tomando banho
*dormindo
*sonhando
*chorando
*engatinhando

4 jul
VAMOS IMITAR
-um trem
-um cachorro
-um carro
-um leão
-um gatinho
-um porquinho
-uma bola
-uma bailarina
-um padre
-um médico
-um cego
-uma lavadeira






MEMORIZAR FRASES SIMPLES
_Mamãe é minha amiga.
_Mamãe é minha melhor amiga.
_Mamãe querida é minha melhor amiga.


_Hoje eu vou para a escola.
_Hoje eu vou para escola fazer trabalhinhos.
_Hoje eu vou para escola fazer trabalhinhos e brincar.

_Fui ao aniversário.
_Fui ao aniversário e levei um presente.
_Fui ao aniversário, levei um presente e comi bolo.
_Fui ao aniversário, levei um presente, comi bolo e brinquei.

7 jul
ESCONDER OBJETOS
Colocar vários objetos em cima da mesa e escolher uma criança para sair da sala. Retirar um objeto e quando a criança voltar deverá nomear o objeto retirado.

7 jul
DESENVOLVER MEMÓRIA VISUAL
Apresentar a criança 3 objetos relacionados entre si, formando uma cena simples. EX: boneca em pé, fogãozinho com uma panela, uma caminha de boneca.
A criança olha rapidamente e depois se vira e diz o que viu.

7 jul

NOVOS "COMPREENSÃO DE ABSURDOS"

-Julio mora embaixo de um navio.
-Rodrigo escova os dentes com uma salsicha.
-Tiago escuta radio na caixa de sapatos.
- Emanuele presenteou sua mãe com uma passagem para a lua
-Junior bebe água na chaleira.
-Mauricio dança com sua irmã debaixo da cama.
-Nicolas anda de bicicleta em cima da cama.
-Lidiana toma leite no balde.
-Luciana coloca o balde na canela.
-Clarissa come mosca com arroz.
-Ana secou o rosto com a cueca de seu pai.
-Luana plantou uma árvore no vaso do banheiro.
-Rita acendeu o fogo do churrasco com gelo.
-Pedro deitou na cama e se cobriu com um cobertor de pregos.
primeira  |  < anterior  |  próxima >  |  última


AGRUPAMENTO COM QUANTIDADES DIFERENTES
-Lucia, vá à estante e pegue 3 livros.
-Ana vá no quadro e desenhe 3 brinquedos.
-Julio pegue 2 pincéis na caixinha.
-Lenin, pegue 2 tesourinhas.
-Rita, deite em 4 cadeirinhas.
-Julia, dê 3 pilinhos.
-Sonia, jogue 5 beijinhos para sua amiguinha.


Brincadeira da comida brasileira
Vai começar (bater 3 palmas) a brincadeira( 3 palmas) da comida brasileira( 3palmas)
se for comida bata palmas (3 palmas) se for besteira não faz nada.
Arroz
Feijão
Batata
Macarrão
A cada palavra falada a criança bate palmas, não esqueça de colocar os absurdos, sabão, cadeira, minhoca, e vale toda a sua imaginação

SESSÃO HISTORIADA
Nesse tópico vou postar minhas histórias com movimentos. Utilizo em Educação Física. Os baixinhos adoram.

1 Explorando a Terra
Vamos sair pelo mundo para conhecê-lo melhor?
_Que lugar montanhoso! Vamos escalar essa montanha? (movimento de braços e pernas). Muito cuidado para não cair..Ufa! Conseguimos. Que bela vista temos daqui do alto (colocar a mão sobre a testa)
_Olhem o mar lá embaixo. Que tal nadarmos um pouco? Vamos descer com cuidado.
_Agora vamos correr até a praia? (correr)
_Chegamos. Oba! Todos para a água... (nadar)
_ Ufa, que cansaço! Vamos descansar? (sentar)
_Vejam... Conchinhas! Vamos levar algumas para casa? (flexão dos joelhos)
_Quantas pedras no chão! Vamos saltar por cima delas?(saltar)
_Vejam, uma barraquinha> Vamos chupar um sorvete!
_Estou sentido um cheirinho de cachorro quente (exercícios respiratórios) Eu estou com fome. Vocês também? Depois de toda essa aventura, que tal uma balinha?
(dar a cada criança um balinha com um cartãozinho de incentivo.

30 jul
2 O Gatinho Pipo
Era uma vez um gatinho chamado Pipo.Um dia ele acordou com muita preguiça.(esticar braços e pernas)
Mamãe gata já estava chamando e ele teve de pular da cama. Ele saiu correndo para atender a mamãe. (correr). Saiu com tanta pressa que bateu com o pé na mesa (pular num pé só). Depois que o pé parou de doer, ele saiu a passear (quadrupedar) e não prestou atenção nos carros que passavam, quase foi atropelado se não tivesse pulado para trás (quadrupedar para trás). Pipo ficou nervoso e começou a tremer(tremer). Voltou correndo para casa.(quadrupedar correndo) e se deitou novamente(deitar). Pipo aprendeu a lição e agora cada vez que si a rua olha para todos os lados(movimento do pescoço)

30 jul
3 Chapeuzinho Vermelho
Era uma vez uma menina muito alegre e educada. Tinha esse nome porque usava um gorro vermelho na cabeça. Um dia ela pediu a mamãe para levar flores para a vovó que morava no bosque,
Andava bem depressa entre as árvores (andar em serpentina). Ela olhou para cima e notou que havia uns passarinhos que cantavam e voavam e começou a imitá-los (correr movimentando os braços). Chapeuzinho Vermelho estava muito cansada e respirou fundo (respiração) Quando Chapeuzinho levantou a cabeça, avistou em uma árvore um ninho de passarinhos. Ela trepou na árvore.. Vamos trepar também? (fazer o movimento) Depois ela desceu da árvore e avistou umas flores lindas. Começou a apanhá-las. (abaixar) Que flores cheirosas! Que perfume! (exercícios de respiração). Andando novamente, ela atravessou um córrego com muitas pedras( saltar várias vezes),logo depois teve de cruzar um terreno cheio de espinhos, então ela cruzou assim...(com os calcanhares). Logo adiante tinha um rio. Ela pegou um barquinho para atravessá-lo (remar).
Quando chapeuzinho desceu do barco avistou o lobo e começou a correr (correr). O lobo avançou para ela. Chapeuzinho pegou do chão uma porção de pedrinhas (agachar e levantar) e começou a jogar no lobo (flexão dos braços e pernas).
O lobo fugiu e Chapeuzinho continuou caminhando muito cansada (relaxar os músculos-boneco de mola)
Chegou na casa da vovó que estava na porta. Então, a vovó lhe falou:
_Chapeuzinho, olha que lindo está o nosso pomar, (olhar a direita) e veja como está bonita a pintura da casa (olhar a esquerda).
Chapeuzinho e a vovó sentaram-se na frente da casa (sentar) e começaram a cantar a musiquinha que elas tanto gostavam. (cantar)
“Pela estrada a fora eu vou bem sozinha
Levar esses doces para a vovozinha.
Ela mora longe, o caminho é deserto
E o lobo mau passeia aqui por perto.
E a tardinha, ao sol poente, junto a vovozinha
Dormirei contente.”

30 jul
4 A Fuga do Palhaço
Era uma vez um palhacinho que estava muito triste. Ele estava cansado de ficar no circo.
Resolveu, então, fugir para uma floresta.
Ele arrumou o cabelo e saiu muito contente pulando que nem sapo (saltar)
Na floresta haviam muitas árvores e o palhacinho ia contornando todas elas. (zig-zag)
No meio do caminho o palhacinho teve que atravessar um rio, então ele pegou um barco e saiu remando, remando (remar sentado)
Quando chegou na outra margem ele encontrou uma enorme pedra atrapalhando seu caminho. O palhacinho começou a empurrá-la. Empurrou, empurrou (empurrar) até que ela saiu do caminho.
Mas adiante havia uma cerca bem no lugar onde o palhacinho deveria passar. O que foi que ele fez? Passou por baixo da cerca (rastejar)
Do outro lado da cerca havia um canguru e o palhacinho resolveu imitá-lo. (saltar como um canguru.)
Enquanto ele imitava o bichinho, avistou um passarinho e resolveu imitar um canguru voador
( pular e bater com os braços)
Mesmo brincando, o palhacinho começou a ficar cansado. Seu pezinho doía e ele resolveu caminhar só com o pé direito para descansar o outro (pular com o pé direito) , depois só com o pé esquerdo (pular com o pé esquerdo).
A noite chegava rápido e o palhacinho cansado começava a ficar com medo. A única coisa que ele queria agora era voltar para o circo.
Ele começou então a voltar pelo mesmo caminho.
Ele contornava as árvores bem devagar pois estava muito cansado. (andar em zig zag bem devagar), sua garganta doía e ele fazia assim (respirar ofegante)
O sono chegava depressa e o palhacinho não conseguia manter os olhos abertos por muito tempo (piscar).
Neste momento ele avistou o circo e começou a ouvir o riso das crianças.
O palhacinho já não se sentia mais cansado, não tinha medo nem sono. Ele começou a respirar fundo e bem devagar, afinal ele estava em casa. (exercício de respiração).

30 jul
5.O Leão e o Rato.
Certo dia o rato saiu da toca correndo.(correr)
Muito assustado estava o rato pois fugia do gato preto.
No caminho encontrou o leão, levou um grande susto e começou a tremer. (tremer)
O rei dos animais vendo o ratinho tão nervoso, não lhe fez mal nenhum e deixou que ele seguisse seu caminho.
Um dia o leão caiu em uma armadilha e por mais que movimentasse o corpo não conseguia sair. (movimentar o corpo inteiro). Fez força (movimento de empurrar), rugiu furioso mas de nada adiantou.
O rato que naquele dia passava por ali, viu o desespero do amigo e resolveu roer as cordas da rede com muita paciência.
Quando terminou estava cansado, mas muito feliz então começou a dar pulos de alegria (saltar). Saltou tanto que começou novamente a ficar cansado, tão cansado que mal conseguia respirar e respirava assim (respirar bem devagar).
O leão, vendo-se livre, agradeceu ao ratinho e prometeram sr amigos para sempre.

24 ago

DORMINDO NO RECREIO
Dei esse nome a brincadeira pois os pequenos a adoram. Alunos deitados em colchonetes (esses meus colchonetes são muitos simples e eu mesma fiz- E aquele papelão que vem forrando geladeiras, ou outro móvel grande. Eu forrei o papelão com TNT colorido)
As crianças deitam nos colchonetes e são convidados a dormirem. Com a ajuda do professor vão imaginando diferentes formas de dormir:
_com cobertores pequenos, que não conseguem cobrir todo o corpo.
_com calor
_com frio
_roncando
_sonhando
_com pesadelo
_tranqüilos
_sonâmbulos
_encolhidos
_esticados


DESENVOLVIMENTO ORAL
Esse jogo é muito divertido. Não fui eu que criei. Copiei da internet, mas não lembro de que site. Acrescentei ao meu "Caderninho de Desenvolvimento Global"
Colocamos várias figuras em cima da mesa (coisas, animais, profissões,paisagens, etc.), voltados com a face para baixo.
A pergunta central é "O que você faria se fosse...?"
A criança, vira a figura, observa e completa a frase.
O professor deve estimular os alunos a falarem bastante sobre esse "personagem".



                                                                                                                          ● Cissa ●
ATIVIDADES COM JORNAL PARA CRIANÇAS PEQUENAS
A-  Apalpar a folha de jornal, sem amassá-la para sentir a sua textura
B- Descobrir cores no seu jornal.
C- Se o jornal tiver foto as crianças tentam imitar a foto (procurar páginas que não contenham cenas de violência.
D- Fechando o jornal. (dobrar a folha em 2, 4, 8 partes)
Com o jornal dobrado:
-colocar na cabeça
-nas costas
-no ombro esquerdo/direito
-no pé e andar
-na mão direita, na mão esquerda
-atrás do joelhos e andar num pé só
Deixar a folha de jornal dobrada em 2 (fechado)
E- Colocar o jornal no chão e:
-sentar no jornal e fazer a volta com o bumbum nele
-andar em volta do jornal sem tocá-lo
-pular sobre ele sem tocá-lo
-deitar-se sobre ele, levantar a barriga e tentar movimentar-se em circulo, sem tocar a barriga nele.
-marchar sobre o jornal sem sair do lugar
-movimentar-se com os dois pés em cima do jornal
colocar seu jornal em cima do jornal de um amigo e movimentar-se ambos com um pé no jornal e o outro fora dele.
-colocar os jornais , um a frente do outro, formando uma estrada e engatinhar em fila sobre eles.

25 ago
CONTINUAÇÃO
F- Cada aluno pega seu jornal. Amassa, abre novamente a folha e sente a textura, observando a diferença entre a folha lisa e a amassada
G- Amassa novamente o jornal, fazendo uma bolinha.
Com a bolinha fazer o jogo "Limpando a Casa"
Divide a turma em duas equipes e faz um risco no chão, que pode ser de giz.
Cada equipe ficará de um lado da casa e deveram jogar suas bolinhas de um lado para o outro, tentando sujar a casa da outra equipe. O que conta nesse jogo é o tempo, pois as bolinhas são reaproveitadas e jogadas novamente. Estipule um tempo que poderá ser de 3 minutos. Ao passar o tempo, pare o jogo e conte quem tem menos bolinha na casa. Essa será a equipe vencedora.
H- Terminado o jogo, se quiser, pegue as bolinhas, junte com mais jornal picado pelos próprios alunos e façam uma massa de papel marchê, deixando por alguns dias de molho e batendo no liquidificador com um grude feito de farinha e água Coloque a farinha e a água a ferver (1/2 copo de farinha para 2 copos de água), deixe ferver e coloque uma colherinha de vinagre. Aperte bem o papel que estava de molho para escorrer a água, junte com o grude e bata aos pouquinhos no liquidificador. Vai formar uma pasta que pode ser trabalhada como massinha de modelar.
G- Como estamos ás vésperas do dia do soldado, podemos dar a criança outra folha de jornal e com elas fazer um chapéu de soldado, que todos sabem fazer.



 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário